Como conectar o Spotify ao Google Maps para ver rota no GPS com música

Spotify conta com sistema de integração ao Google Maps que permite ouvir músicas enquanto usam o sistema de navegação. Disponível no aplicativo para iPhone (iOS) e nos smartphones com Android, o recurso adiciona no navegador GPS um mini player para iniciar e comandar a reprodução de músicas no serviço de streaming. Dessa maneira, o celular passar a reproduzir as músicas, playlists e podcasts do Spotify sem a necessidade de sair do Maps.

Para realizar a integração entre os apps, é necessário realizar um rápido procedimento de autorização a partir das configurações avançadas no Spotify no celular. No tutorial a seguir, confira o passo a passo para saber como ouvir músicas do Spotify enquanto usa o sistema de navegação do Google Maps.

Tutorial mostra como integrar o Spotify na navegação do Google Maps — Foto: Marvin Costa/TechTudo
Tutorial mostra como integrar o Spotify na navegação do Google Maps — Foto: Marvin Costa/TechTudo

Passo 1. Abra o Spotify na aba “Início” e toque sobre o ícone de engrenagem no canto superior direito da tela. Em seguida, acesse a opção “Conectar a outros aplicativos”;

Ação para acessar recursos de outros aplicativos no aplicativo Spotify — Foto: Reprodução/Marvin Costa
Ação para acessar recursos de outros aplicativos no aplicativo Spotify — Foto: Reprodução/Marvin Costa

Ação para acessar recursos de outros aplicativos no aplicativo Spotify — Foto: Reprodução/Marvin Costa

Passo 2. Em “Google Maps”, pressione o botão “Conectar” e aceito os termos de integração entre os dois serviços;

Ação para autorizar o uso do Spotify em uma conta do Google Maps — Foto: Reprodução/Marvin Costa
Ação para autorizar o uso do Spotify em uma conta do Google Maps — Foto: Reprodução/Marvin Costa

Ação para autorizar o uso do Spotify em uma conta do Google Maps — Foto: Reprodução/Marvin Costa

Passo 3. Você será redirecionado para o Google Maps e precisará configurar o Spotify como app padrão para áudio na plataforma. Para isso, toque sobre a opção “Permitir” na janela que indica a ação e, em seguida, selecione a opção “Spotify” e toque no ícone de seta no canto superior esquerdo da tela;

Ação para tornar o spotify o aplicativo padrão para áudio no Google Maps — Foto: Reprodução/Marvin Costa
Ação para tornar o spotify o aplicativo padrão para áudio no Google Maps — Foto: Reprodução/Marvin Costa

Ação para tornar o spotify o aplicativo padrão para áudio no Google Maps — Foto: Reprodução/Marvin Costa

Passo 4. Inicie uma navegação no aplicativo e toque sobre a opção “Continuar tocando”. Será exibido um mini player que apresenta capa, nome da música e do artista. Além disso, é possível usar os controles de pausa/reprodução, voltar e pular faixas. Para ver mais detalhes, pressione o botão “Procurar”;

Ação para ativar e controlar o áudio do Spotify durante a navegação no Spotify — Foto: Reprodução/Marvin Costa
Ação para ativar e controlar o áudio do Spotify durante a navegação no Spotify — Foto: Reprodução/Marvin Costa

Ação para ativar e controlar o áudio do Spotify durante a navegação no Spotify — Foto: Reprodução/Marvin Costa

Passo 5. Você poderá iniciar as playlists de seu perfil criadas pelo Spotify de acordo com sua atividade no serviço, como Radar de Novidades, Descobertas da Semana e outras. Toque sobre elas para iniciar a reprodução. Para voltar até a tela de navegação, toque sobre o ícone “X”.

Ação para iniciar playlists do Spotify através do player do serviço no Google Maps — Foto: Reprodução/Marvin Costa
Ação para iniciar playlists do Spotify através do player do serviço no Google Maps — Foto: Reprodução/Marvin Costa

Ação para iniciar playlists do Spotify através do player do serviço no Google Maps — Foto: Reprodução/Marvin Costa

Use a dica para ouvir suas músicas preferidas do Spotify quando estiver usando a navegação do Google Maps.

TFT: Galáxias ganha campeonato internacional com Brasil na disputa

Torneio mundial da Riot Games terá duas vagas para o Brasil


Teamfight Tactics (TFT) Galáxias ganhou um campeonato internacional. A Riot Games anunciou o torneio nesta segunda-feira (13). Ao todo, 16 jogadores da América do Norte, China, Europa, Brasil, Coreia do Sul e da América Latina vão brigar pelo prêmio de US$ 200 mil (cerca de R$ 1.3 milhão). A competição, que ainda não teve um calendário divulgado, vai acontecer em 2020 e terá duas vagas para representantes brasileiros na sua etapa final.

TFT é um jogo que virou um fenômeno. O game surgiu um modo dentro do League of Legends (LoL) em 2019. O jogo Auto Chess logo fez sucesso no PC e alcançou 80 milhões de players em todo o mundo. Em março de 2020, Teamfight Tactics ganhou uma versão mobile para baixar de graça no Android iPhone (iOS). O jogo para celulares bateu 4.5 milhões de downloads três semanas após o seu lançamento.

Lançado recentemente, TFT Mobile já bateu 4.5 milhões de downloads  — Foto: Larissa Infante/TechTudo
Lançado recentemente, TFT Mobile já bateu 4.5 milhões de downloads  — Foto: Larissa Infante/TechTudo

Lançado recentemente, TFT Mobile já bateu 4.5 milhões de downloads —

De acordo com a desenvolvedora, o torneio vai acontecer no fim do Conjunto Galáxias. Os jogadores finalistas vão se classificar por um sistema regional de escalada e torneios. As regras das qualificatórias serão específicas para cada região e a Riot Brasil deve divulgar os critérios para o país em breve.

Torneio terá duas vagas para jogadores brasileiros — Foto: Reprodução/lolesports
Torneio terá duas vagas para jogadores brasileiros — Foto: Reprodução/lolesports

Torneio terá duas vagas para jogadores brasileiros — Foto: Reprodução/lolesports

TFT mistura elementos de MOBAs e jogos de tabuleiro. No formato de oito jogadores todos contra todos, para vencer é preciso combinar campeões, posicioná-los no tabuleiro e eliminar seus oponentes em turnos. Vence o último sobrevivente. Os personagens do game são os mesmos do universo do LoL.

Pokémon GO: pessoas que ignoraram quarentena para jogar e foram multadas

Confira alguns casos de pessoas que ignoraram as normas de quarentena impostas em seus países apenas para jogar Pokémon GO e acabaram punidas por isso

Pokémon GO foi um dos games que mais teve mudanças para se adequar à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), mas isso não impediu alguns jogadores de tentarem violar o isolamento para jogar em público. Normalmente o jogo para Android e iOS (iPhone) exigiria passeios ao ar livre e aglomerações para eventos, que vão contra as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS). Porém, suas mecânicas foram alteradas para ser possível jogá-lo em casa. Ainda assim, há casos de pessoas que foram às ruas para usar o app e acabaram punidas por violarem a quarentena.

Pokémon GO já fez diversas atualizações que facilitam jogar o game de dentro de casa — Foto: Divulgação/Nintendo
Pokémon GO já fez diversas atualizações que facilitam jogar o game de dentro de casa — Foto: Divulgação/Nintendo

Pokémon GO já fez diversas atualizações que facilitam jogar o game de dentro de casa — Foto: Divulgação/Nintendo

Treinadores que quiserem jogar Pokémon GO em isolamento têm uma série de possibilidades para capturar os monstrinhos sem saírem de casa. A produtora Niantic ampliou os habitats das criaturinhas, de forma que apareçam com mais frequência, e em mais lugares, e semanalmente oferece pacotes de itens por preços promocionais de apenas 1 moeda. Várias limitações também foram removidas para batalhar contra outros treinadores ao redor de todo o mundo na Liga de Batalha Go e contra seus amigos.

1. Idoso na Espanha

Um dos primeiros casos que chamou a atenção foi o de um senhor que foi pego em violação da quarentena em Madrid, na Espanha, no dia 22 de março. O homem de 77 anos foi abordado pela polícia e questionado sobre por qual motivo se encontrava fora do isolamento – e respondeu que “estava caçando Pokémon”. O homem não teve sua identidade revelada, mas foi multado pela polícia de acordo com a lei do país. O caso viralizou depois que a Polícia de Madrid postou a foto da multa em sua conta oficial no Twitter.

Homem de 77 anos multado por jogar Pokémon GO na Espanha foi um dos casos que ganhou mais destaque — Foto: Reprodução/Twitter/@policiademadrid
Homem de 77 anos multado por jogar Pokémon GO na Espanha foi um dos casos que ganhou mais destaque — Foto: Reprodução/Twitter/@policiademadrid

Homem de 77 anos multado por jogar Pokémon GO na Espanha foi um dos casos que ganhou mais destaque — Foto: Reprodução/Twitter/@policiademadrid

2. Homem de 31 anos na Itália

Um caso registrado em San Fermo, na Itália, acabou com um homem de 31 anos detido por estar na rua enquanto jogava Pokémon GO. Segundo o jornal italiano Leggo, o indivíduo havia saído para caçar os monstrinhos com sua filha e, após deixá-la em casa, continuou nas ruas para jogar mais. A força de segurança foi chamada e, ao abordá-lo sobre os motivos para estar fora do isolamento, ele afirmou: “eu tenho que caçar os Pokémon”. A punição do homem que também não teve sua identidade revelada pode ir desde uma multa até tempo na prisão, a depender das acusações.

00:00/01:24

Pokémon GO agora permite batalhas entre amigos; saiba como

Pokémon GO agora permite batalhas entre amigos; saiba como

3. Motorista no Reino Unido

Em Stevenage, no Reino Unido, a polícia parou um motorista que parecia andar sem rumo pelas ruas, mais precisamente no parque Stevenage Leisure Park. De acordo com o site de notícias iTV, o homem respondeu apenas que jogava Pokémon GO ao ser questionado sobre qual o motivo essencial para estar fora do isolamento. O homem foi enviado para casa apenas com uma advertência, mas a polícia local de Stevenage chegou a fazer um post em sua conta no Twitter para avisar a todos: “Pokémon GO não é uma viagem essencial”.

Pokémon Go oferece 100 pokébolas por 1 moeda para usuários continuarem a jogar durante quarentena — Foto: Reprodução/Pokémon Go
Pokémon Go oferece 100 pokébolas por 1 moeda para usuários continuarem a jogar durante quarentena — Foto: Reprodução/Pokémon Go

Pokémon Go oferece 100 pokébolas por 1 moeda para usuários continuarem a jogar durante quarentena — Foto: Reprodução/Pokémon Go

4. Chinês em Buenos Aires

O jornal Buenos Aires Times noticiou um caso um pouco diferente na capital argentina. Um homem chinês de 28 anos violou as medidas de isolamento impostas para o mês de março no país e, quando foi abordado pela polícia, não deu nenhum motivo para estar na rua. Um dos policiais foi quem reparou o game aberto no smartphone do indivíduo e concluiu que era apenas para jogar Pokémon GO. O indivíduo foi detido e seu caso ainda será julgado para determinar uma punição.

Em Pokémon Go jogadores podem comprar um pacote com 30 incensos por 1 moeda, limitado a uma compra por pessoa — Foto: Reprodução/Rafael Monteiro
Em Pokémon Go jogadores podem comprar um pacote com 30 incensos por 1 moeda, limitado a uma compra por pessoa — Foto: Reprodução/Rafael Monteiro

Você sabe como medir corretamente a velocidade de sua internet?

Uma das principais reclamações dos usuários de internet é de que a conexão está lenta. A melhor forma de descobrir se a velocidade está dentro do limite contratado ou se você está com algum problema na rede local é fazendo um teste. Veja como verificar a velocidade da sua internet:

Conecte o seu computador à rede que você quer testar (por Wi-Fi, cabo, 3G ou 4G) e acesse o site do SpeedTest da Ookla. Você pode testar a velocidade de acesso a um servidor da sua escolha ou deixar que o aplicativo selecione o servidor ideal para o teste. Quando quiser começar, clique em “Iniciar”.

Reprodução

O medidor avalia o tempo de resposta do Ping, que é o comando utilizado para medição de conexão entre equipamentos, e as velocidades de download e upload.

Reprodução

No final do teste, são exibidos os resultados e ainda é possível comparar com medições anteriores, clicando no botão “Resultados”, para analisar a variação da velocidade do serviço contratado.

Reprodução

Vale lembrar que um plano que ofereça “10 Mega”, por exemplo, não significa uma velocidade de download de 10 megabytes por segundo, pois velocidades de transferência são medidas em bits por segundo, não em bytes. Como cada byte é equivalente a 8 bits, então a velocidade real é 1/8 do valor em megabytes, ou seja, 1,25 Mbps.

O SpeedTest também está disponível com aplicativo para Android e iOS, o que possibilita medir a velocidade de internet 3G. Se você preferir, também pode usar o Fast.com, um site da Netflix que usa o mesmo sistema do SpeedTest, mas é muito mais simples e básico. Basta acessar o site e ver o resultado na tela.

Reprodução

Clique em “Mostrar mais informações” para ver mais detalhes do teste.

Reprodução

Call of Duty: Warzone bane 50 mil hackers em menos de um mês

Alto número de downloads vem acompanhado de muitos jogadores que usam aimbots e wallhacks


Call of Duty: Warzone já baniu 50 mil jogadores de forma permanente desde o seu lançamento. Segundo a Activision, os trapaceiros foram punidos por utilizarem hacks aimbots e wallhacks. A informação foi publicada no blog da desenvolvedora no último dia 31, onde a empresa afirmou que “o Warzone tem tolerância zero para trapaceiros” e que equipes de segurança monitoram os servidores do game 24 horas por dia para identificar possíveis infrações. O jogo está disponível para download grátis nos consoles Playstation 4 (PS4) e Xbox One, e também em PCs.

Requisitos de Call of Duty Warzone e como baixar no PC, PS4 e Xbox One

Warzone se divide em dois modos: Battle Royale e Plunder, e uma das novidades é a possibilidade de crossplay entre as plataformas. O game da franquia Call of Duty foi lançado no dia 10 de março de 2020 e em 10 dias atingiu a marca de 30 milhões de downloads. Vale ressaltar que no console da Microsoft é preciso ser assinante da Xbox Live Gold para baixar o título.

Call of Duty Warzone tem possibilidade de crossplay entre PC, PS4 e Xbox One — Foto: Divulgação/Activision
Call of Duty Warzone tem possibilidade de crossplay entre PC, PS4 e Xbox One — Foto: Divulgação/Activision

Call of Duty Warzone tem possibilidade de crossplay entre PC, PS4 e Xbox One — Foto: Divulgação/Activision

O uso de hacks é completamente recriminado pela Activision. Aimbots são softwares executados no computador que facilitam a vida dos trapaceiros ao mirar com grande precisão. O hack permite que o player mire automaticamente na cabeça dos oponentes e consiga um maior número de headshots. Já wallhacks permitem enxergar através das paredes. Ambos dão larga vantagem a quem utilizá-los contra os inimigos e por isso são proibidos.

Aimbots já são conhecidos nos jogos de tiro, como Counter Strike: Global Offensive (CS:GO) e Rainbow Six: Siege (R6), que também punem os trapaceiros de maneira severa. Cheats desse tipo são estritamente proibidos pelas desenvolvedoras, pois além de darem vantagens injustas para quem os utiliza, prejudicam a experiência de outros jogadores, que não conseguem competir com um player que se beneficia desta forma.

Auxílio emergencial: como se cadastrar e pedir benefício no site da Caixa

Cadastro para receber benefício foi liberado na última terça-feira (7) e pode ser solicitado pelo site da Caixa


auxílio emergencial já pode ser solicitado por trabalhadores informais, MEIs, autônomos e desempregados no site da Caixa. Devido à pandemia do novo coronavírus, que obrigou muitas pessoas a ficarem em casa, o Governo Federal liberou o benefício financeiro como forma de ajudar esses profissionais durante a crise. Também conhecido como “coronavoucher”, o auxílio emergencial será pago durante três meses para até duas pessoas na família. O valor mensal é de R$ 600 para cada beneficiário. No caso de famílias em que a mulher é a única responsável pelas despesas, o pagamento mensal será de R$ 1.200.

Quem já possui o Cadastro Único receberá o benefício automaticamente, dispensando a necessidade de um novo cadastro. O mesmo vale para quem tem direito ao Bolsa Família. Neste caso, o valor oferecido pelo programa será temporariamente suspenso. A previsão é que o auxílio emergencial comece a ser pago na próxima quinta-feira (9) e as pessoas que já tem cadastro devem ser as primeiras a receber. O dinheiro será depositado diretamente na conta bancária e poderá ser sacado em lotéricas ou agências da Caixa, do Banco do Brasil, Banco da Amazônia e Banco do Nordeste.

Além do app, é possível fazer o cadastro para receber o auxílio emergencial pelo PC — Foto: Rubens Achilles/TechTudo
Além do app, é possível fazer o cadastro para receber o auxílio emergencial pelo PC — Foto: Rubens Achilles/TechTudo

Além do app, é possível fazer o cadastro para receber o auxílio emergencial pelo PC — Foto: Rubens Achilles/TechTudo

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Vale ressaltar que, além de preencher os requisitos anteriores, a pessoa não pode ter emprego formal ou receber benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou de outro programa com exceção do Bolsa Família. Além disso, a renda familiar mensal por pessoa não pode passar de meio salário mínimo (R$ 522,50) e o valor total da renda familiar mensal, incluindo todas pessoas, é até três salários mínimos (R$ 3.135,00). Por fim, o beneficiário não pode ter recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018.

A seguir, veja como fazer o cadastro e solicitar o auxílio emergencial pelo computador, no site da Caixa. O tutorial foi feito no Google Chrome, porém o site também pode ser acessado em outros navegadores como FirefoxMicrosoft Edge ou Safari. O cadastro para receber o benefício também pode ser feito pelo aplicativo Caixa – Auxílio Emergencial.

Como identificar fake news? Veja sites para checar se notícia é verdadeira

Como identificar fake news? Veja sites para checar se notícia é verdadeira

Passo 1. Acesse o site do auxílio emergencial (auxilio.caixa.gov.br/#/inicio) e clique em “Realize a sua solicitação”;

Saiba como se cadastrar para receber o auxílio emergencial pelo PC — Foto: Reprodução/Caixa
Saiba como se cadastrar para receber o auxílio emergencial pelo PC — Foto: Reprodução/Caixa

Saiba como se cadastrar para receber o auxílio emergencial pelo PC — Foto: Reprodução/Caixa

Passo 2. Leia atentamente as condições e verifique se você se encaixa em todas elas. Em seguida, marque as caixas de seleção no final da tela e, então, clique em “Tenho os requisitos, quero continuar”;

Leia atentamente as condições e concorde com os termos — Foto: Reprodução/Caixa
Leia atentamente as condições e concorde com os termos — Foto: Reprodução/Caixa

Leia atentamente as condições e concorde com os termos — Foto: Reprodução/Caixa

Passo 3. Preencha os campos com suas informações, incluindo nome, CPF, data de nascimento, nome da mãe. Depois, marque a caixa com o Captcha e clique em “Continuar”;

Preencha seus dados — Foto: Reprodução/Caixa
Preencha seus dados — Foto: Reprodução/Caixa

Preencha seus dados — Foto: Reprodução/Caixa

Passo 4. Agora, para receber um código de verificação e acessar a plataforma, preencha o número do seu celular e informe a sua operadora. Depois, clique em “Continuar”. Na tela seguinte, preencha com o código e siga para a próxima página;

Informe o número do seu celular e a operadora — Foto: Reprodução/Caixa
Informe o número do seu celular e a operadora — Foto: Reprodução/Caixa

Informe o número do seu celular e a operadora — Foto: Reprodução/Caixa

Passo 5. Nesta página, informe a sua renda mensal e a atividade que você exerce, além do estado e da cidade em que reside. Então, clique em “Continuar”;

Informe a sua renda e a sua atividade — Foto: Reprodução/Caixa
Informe a sua renda e a sua atividade — Foto: Reprodução/Caixa

Informe a sua renda e a sua atividade — Foto: Reprodução/Caixa

Passo 6. Em seguida, informe quantas pessoas moram na sua residência e confirme os seus dados. Caso seja mulher e responsável pelo sustento da casa, marque a opção no final da tela. Então, clique em “Adicionar membro da família” para incluir os dados das pessoas que moram com você;

Informe a sua composição familiar — Foto: Reprodução/Caixa
Informe a sua composição familiar — Foto: Reprodução/Caixa

Informe a sua composição familiar — Foto: Reprodução/Caixa

Passo 7. Informe o grau de parentesco do membro a ser adicionado, o CPF e a data de nascimento. Caso precise registrar outra pessoa, basta selecionar “Adicione membro da família” novamente. Quando terminar, clique em “Continuar”;

Adicione dados dos membros da sua família — Foto: Reprodução/Caixa
Adicione dados dos membros da sua família — Foto: Reprodução/Caixa

Adicione dados dos membros da sua família — Foto: Reprodução/Caixa

Passo 8. Escolha se receberá o benefício em uma conta corrente ou poupança já existente clicando em “Receber em conta existente”. Caso não possua, selecione a opção “Abrir uma conta e receber”;

Escolha se irá receber em uma conta existente ou se terá que abrir uma conta digital — Foto: Reprodução/Caixa
Escolha se irá receber em uma conta existente ou se terá que abrir uma conta digital — Foto: Reprodução/Caixa

Escolha se irá receber em uma conta existente ou se terá que abrir uma conta digital — Foto: Reprodução/Caixa

Passo 9. Caso já possua uma conta, informe qual é o banco correspondente, o tipo de conta, a agência, o número e o dígito da conta escolhida. Em seguida, clique em “Continuar”;

Informe os seus dados bancários — Foto: Reprodução/Caixa
Informe os seus dados bancários — Foto: Reprodução/Caixa

Informe os seus dados bancários — Foto: Reprodução/Caixa

Passo 10. Confira se todos os dados preenchidos no site estão corretos e, então, clique em “Concluir sua solicitação”.

Confirme todos os seus dados — Foto: Reprodução/Caixa
Confirme todos os seus dados — Foto: Reprodução/Caixa

Confirme todos os seus dados — Foto: Reprodução/Caixa

Como acompanhar a solicitação do auxílio emergencial

Passo 1. Para acompanhar a solicitação do auxílio emergencial e ver o andamento do seu pedido, volte à página inicial do site. Então, selecione a opção “Acompanhe a sua solicitação”;

Retorne à página inicial — Foto: Reprodução/Caixa
Retorne à página inicial — Foto: Reprodução/Caixa

Retorne à página inicial — Foto: Reprodução/Caixa

Passo 2. Insira o seu CPF e marque a caixa do Captcha. Depois, clique em “Continuar”;

Insira os dados — Foto: Reprodução/Caixa
Insira os dados — Foto: Reprodução/Caixa

Insira os dados — Foto: Reprodução/Caixa

Passo 3. O sistema enviará mais um código por SMS para o número de celular cadastrado. Informe-o no campo correspondente e clique em “Continuar”;

Cadastre o código no site da Caixa — Foto: Reprodução/Caixa
Cadastre o código no site da Caixa — Foto: Reprodução/Caixa

Cadastre o código no site da Caixa — Foto: Reprodução/Caixa

Passo 4. Na tela seguinte, o sistema mostrará a situação do seu cadastro.

O site mostrará a situação da sua solicitação — Foto: Reprodução/Caixa
O site mostrará a situação da sua solicitação — Foto: Reprodução/Caixa

O site mostrará a situação da sua solicitação.

iPhone 8 sobrevive após ficar dois meses debaixo d’água

Um casal recuperou um iPhone 8 que ficou submerso durante dois meses no Rio Tâmisa, em Londres. De acordo com o portal inglês The Sun, que revelou o caso na última quarta-feira (1), a brasileira Thayse Bussolo-Vieira, de 29 anos, derrubou o celular da Apple no começo de fevereiro, enquanto alimentava cisnes no rio. A mulher se surpreendeu ao descobrir que o iPhone ainda funcionava normalmente após resgatar o smartphone que ficou tanto tempo em contato com a água.

Thayse disse que encontrou o celular durante uma caminhada com o noivo, James Tongue. O casal conseguiu recuperar o telefone usando uma vassoura com uma peneira de cozinha na ponta. Para alívio dos noivos, o aparelho estava funcionando e eles conseguiram ter acesso às fotos que achavam que tinham perdido.

Casal recuperou iPhone 8 que ficou dois meses debaixo d'água — Foto: Reprodução/The Sun
Casal recuperou iPhone 8 que ficou dois meses debaixo d'água — Foto: Reprodução/The Sun

Casal recuperou iPhone 8 que ficou dois meses debaixo d’água — Foto: Reprodução/The Sun

A administradora de uma companhia aérea disse ao portal que após derrubar o celular na água chegou a considerar pular na água para tentar recuperá-lo, mas desistiu devido ao alto nível do rio. Meses mais tarde, Thayse estava passeando com o noivo em Staines, local onde havia ocorrido o incidente, quando avistou o iPhone 8 no leito do rio, dois metros abaixo da superfície.

O casal conseguiu recuperar o smartphone usando uma rede de pesca caseira feita com um cabo de vassoura e uma peneira de cozinha presa na ponta. Após lutar contra a correnteza por 40 minutos, James empurrou o telefone para dentro da rede com a ajuda de um graveto.

James conseguiu recuperar o aparelho usando uma rede de pesca caseira — Foto: Reprodução/The Sun
James conseguiu recuperar o aparelho usando uma rede de pesca caseira — Foto: Reprodução/The Sun

James conseguiu recuperar o aparelho usando uma rede de pesca caseira — Foto: Reprodução/The Sun

O noivo de Thayse contou que só foi possível recuperar o aparelho porque as águas do rio estavam calmas no dia. “Ele estava lá, no mesmo lugar, apenas sentado no fundo do rio como uma pedra”, disse.

Após secar o celular em uma tigela de arroz, o casal decidiu carregar o smartphone. Eles ficaram surpresos ao descobrir que mais de 20 mil fotos de cinco viagens internacionais ainda estavam lá. Vale lembrar que a recomendação é que os usuários façam backup dos dados recorrentemente para recuperar o conteúdo do celular em caso de perda ou roubo. Thayse, que é natural de Santa Catarina, disse que o telefone estava coberto de terra, mas sem nenhum dano.

Desde os modelos iPhone 7 e 7 Plus, lançados em 2016, a Apple conta com um sistema de resistência à água. Contudo, o iPhone 8 conta apenas com a certificação IP67, que garante que o celular pode ficar submerso em profundidade máxima de um metro por até 30 minutos.

Atualmente, a certificação IP68 é a alternativa mais avançada do mercado, disponibilizada pela fabricante apenas para os modelos iPhone XSiPhone XS MaxiPhone 11, iPhone 11 Pro e iPhone 11 Pro Max. Com isso, a Apple garante que os celulares podem ficar submersos até dois metros de profundidade por 30 minutos. As versões mais parrudas do catálogo da empresa da maçã como o iPhone 11 Pro e iPhone 11 Pro Max ostentam proteção ainda maior: é possível deixá-los submersos em até quatro metros de coluna d’água durante 30 minutos.

O iPhone 8 recuperado ainda continha as mais de 20 mil fotos do casal — Foto: Reprodução/The Sun
O iPhone 8 recuperado ainda continha as mais de 20 mil fotos do casal — Foto: Reprodução/The Sun

Curiosidades sobre o League of Legends que você provavelmente não sabia

League of Legends (LoL) é um jogo de sucesso da Riot Games com download grátis disponível para PC. O lançamento oficial do MOBA foi em outubro de 2009, e em pouco mais de 10 anos, o jogo ganhou reconhecimento, popularidade e se tornou um fenômeno no universo dos esports. Com tanto tempo de estrada, é normal que algumas curiosidades relacionadas ao MOBA passem despercebidas pelo público. Confira, a seguir, sete fatos interessantes sobre o LoL que você provavelmente não sabia.

Skins brasileiras

Hecarim Sabugueiro é uma skin com referências ao Brasil — Foto: Divulgação/Riot Games
Hecarim Sabugueiro é uma skin com referências ao Brasil — Foto: Divulgação/Riot Games

Hecarim Sabugueiro é uma skin com referências ao Brasil — Foto: Divulgação/Riot Games

Existem quatro skins em League of Legends que fazem referências diretas à cultura brasileira. São elas: Gankplank Forças Especiais (inspirada nos filmes Tropa de Elite, de José Padilha), Hecarim Sabugueiro (inspirada na natureza do país), Nami Iara (inspirada na sereia do folclore amazonense) e Carnanivia (inspirada no Carnaval).

Danças icônicas

Dança de Warwick é inspirada no cantor Michael Jackson — Foto: Reprodução/Julio Puiati

A dança da campeã Jinx é inspirada no personagem Jake, do desenho animado Hora de Aventura. No jogo, a atiradora levanta os braços e realiza movimentos idênticos ao carismático bulldog amarelo. Warwick também tem uma dança com referência óbvia. Ele imita a coreografia do cantor Michael Jackson no videoclipe da canção Thriller, que estourou nas paradas musicais em 1984.

Tributo a Tolkien

O visual de Aatrox faz referência a Senhor dos Anéis — Foto: Divulgação/Riot Games
O visual de Aatrox faz referência a Senhor dos Anéis — Foto: Divulgação/Riot Games

O visual de Aatrox faz referência a Senhor dos Anéis — Foto: Divulgação/Riot Games

O desenvolvimento do campeão Aatrox rendeu uma curiosidade que poucos sabem. Segundo Mike Laygo, animador da Riot Games, o personagem foi baseado nas figuras de Balrog e Sauron, da aclamada franquia Senhor dos Anéis. O funcionário já havia trabalhado em jogos do universo de J. R. R. Tolkien no passado.

Proteção contra o sol

Leona causa menos dano em campeões com óculos de sol — Foto: Divulgação/Riot Games
Leona causa menos dano em campeões com óculos de sol — Foto: Divulgação/Riot Games

Leona causa menos dano em campeões com óculos de sol — Foto: Divulgação/Riot Games

A campeã Leona é uma guerreira sagrada que utiliza raios solares como fonte de poder. O curioso é que essa característica não é puramente um detalhe de enredo, mas que realmente impacta a mecânica do jogo. Adversários que ostentam óculos escuros (Vayne, por exemplo), recebem um ponto de dano a menos da passiva da personagem ”Luz do Sol”.

Primeiro de abril

Urf nasceu como uma pegadinha de 1º de abril — Foto: Divulgação/Riot Games
Urf nasceu como uma pegadinha de 1º de abril — Foto: Divulgação/Riot Games

Urf nasceu como uma pegadinha de 1º de abril — Foto: Divulgação/Riot Games

Urf é um modo sazonal muito querido pelos jogadores casuais, já que o tempo de recarga dos campeões é reduzido para que os players se divirtam em Summoner”s Rift. O personagem, entretanto, nasceu de uma pegadinha de 1º de abril. Em 2011, a Riot prometeu que Urf seria um novo personagem jogável, mas logo desmentiu o anúncio. O simpático peixe-boi surgiu como uma skin do Warwick, mas logo se tornou um ícone pop da cultura de League of Legends. Atualmente, existem diversas referências a Urf espalhadas no universo do jogo.

Homenagem ao funcionário

Zilean é uma homenagem ao funcionário Tom Cadwell, da Riot — Foto: Reprodução/Julio Puiati
Zilean é uma homenagem ao funcionário Tom Cadwell, da Riot — Foto: Reprodução/Julio Puiati

Zilean é uma homenagem ao funcionário Tom Cadwell, da Riot — Foto: Reprodução/Julio Puiati

O campeão Zilean é uma homenagem ao funcionário Tom “Zileas” Cadwell, head de design e vice-presente da Riot Games. O ilustrador trabalhou no desenvolvimento de World of Warcraft entre 2002 e 2005. Depois, se transferiu para o estúdio responsável por League of Legends. Os conceitos das campeãs Ashe e Annie, por exemplo, saíram das mãos dele.

Fizz, o Trapaceiro das Marés - League of Legends

A animação da ultimate ”Lançar Isca”, do campeão Fizz, é diferente quando elimina personagens de baixa estatura. Com as exceções de Teemo e Heimerdinger, o Tubarão de fato engole inimigos pequenos quando a habilidade é usada como golpe final. Os corpos simplesmente desaparecem. Isso não acontece com os demais adversários.

Tudo sobre o Galaxy S20: preço, ficha técnica e data de lançamento

Galaxy S20 é um dos celulares premium da Samsung no Brasil, anunciado no mês de março ao lado do Galaxy S20 Plus e do Galaxy S20 Ultra. A versão padrão do smartphone estreia melhorias de tela, câmeras e bateria em relação ao Galaxy S10, e promete ser um competidor de peso tanto para o iPhone 11 quanto para o iPhone 11 Pro. Entre os destaques está a nova câmera tripla de 64 MP com zoom de até 30x.

O smartphone tem preço sugerido de R$ 5.499 e já pode ser adquirido nos canais oficiais da gigante sul-coreana. Veja, nas linhas a seguir, os principais detalhes sobre a ficha técnica do lançamento.

Samsung Galaxy S20, S20 Plus e S20 Ultra; conheça a ficha técnica

Samsung Galaxy S20, S20 Plus e S20 Ultra; conheça a ficha técnica

Ficha técnica do Galaxy S20

  • Tamanho da tela: 6,2 polegadas
  • Resolução da tela: 3200 x 1440 pixels
  • Painel da tela: OLED
  • Câmera principal: tripla, 64, 12, 12 megapixels
  • Câmera frontal (selfie): 10 megapixels
  • Sistema: Android 10
  • Processador: Samsung Exynos 990
  • Memória RAM: 8 GB
  • Armazenamento (memória interna): 128 GB
  • Cartão de memória: microSD
  • Capacidade da bateria: 4.000 mAh
  • Dual SIM: sim (nano SIM)
  • Peso: 188 gramas
  • Cores: cinza, azul e rosa
  • Anúncio: 11 de fevereiro de 2020
  • Lançamento: 11 de março de 2020
  • Preço de lançamento: R$ 5.499

Tela e design

O Galaxy S20 herda boa parte do design do Galaxy S10, já elogiado pelo conjunto premium de materiais: um sanduíche de vidro Gorilla Glass e laterais de alumínio resistente à água e poeira com certificação IP68 e com leitor biométrico ultrassônico embutido. As mudanças visuais da nova geração são principalmente na parte traseira, onde há um novo módulo na cor preta que abriga o conjunto de câmeras. Na frente, a tela está menos curvada e o furo para a câmera frontal está centralizado e menor – somadas, as mudanças aumentam a área útil no display.

O painel traz uma nova tecnologia que aumenta a taxa de atualização das imagens dos tradicionais 60 Hz, vista na maioria dos celulares do mercado, incluindo o iPhone, para 120 Hz. A especificação é normalmente vista em celulares voltados para jogos, como o Asus ROG Phone 2, e proporciona maior fluidez nas animações ao rolar a tela nos menus e apps e rodar games no celular.

Em termos de qualidade de imagem, o Galaxy S20 está entre os melhores do mundo: além da alta resolução Quad HD+ (3200 x 1440 pixels), o painel AMOLED Dinâmico oferece excelentes medidas de brilho, cores e contraste. A experiência não tende a ficar tão atrás da versão Ultra, cuja tela é considerada atualmente a melhor do mundo pelo site especializado DisplayMate. É importante apontar, no entanto, que o usuário deve escolher entre uma de duas combinações: ou tem a definição máxima de pixels ou aciona a frequência de 120 Hz, mas em Full HD+.

Menor da nova linha, Galaxy S20 tem tela de 6,2 polegadas — Foto: Thássius Veloso/TechTudo
Menor da nova linha, Galaxy S20 tem tela de 6,2 polegadas — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

Câmera

O Galaxy S20 está entre os melhores celulares no planeta para fotografar e filmar. A câmera principal de 12 megapixels (abertura de f/1.8) deve produzir imagens de alta qualidade em qualquer ambiente, mesmo em condições adversas de iluminação e movimento por conta da estabilização óptica avançada e do Modo Noite. Ele traz também uma câmera ultra wide de 12 megapixels capaz de capturar fotos e vídeos em um ângulo aberto de 120°, assim como o Galaxy S10. A novidade da vez é uma teleobjetiva mais poderosa, com sensor poderoso de 64 MP capaz de aplicar zoom óptico de 3x, ou de até 30x combinando lente e software. A câmera frontal manteve os 10 MP da geração passada, o que garante boa qualidade também para selfies.

Há ainda diversos modos novos de captura, como o Single Take (Tomada Única), que faz fotos e vídeos com todas as câmeras do celular ao mesmo tempo. Segundo a Samsung, a função usa Inteligência Artificial para sugerir os melhores conteúdos após o clique e é ideal para momentos únicos, como um “Parabéns para você”, em que o usuário não sabe exatamente como registrar.

Galaxy S20 tem câmera tripla com teleobjetiva de 64 MP e zoom avançado — Foto: Divulgação/Samsung
Galaxy S20 tem câmera tripla com teleobjetiva de 64 MP e zoom avançado — Foto: Divulgação/Samsung

Galaxy S20 tem câmera tripla com teleobjetiva de 64 MP e zoom avançado — Foto: Divulgação/Samsung

Ficha técnica

O Galaxy S20 traz ficha técnica de ponta. A versão única do modelo à venda no Brasil tem memória RAM de 8 GB no padrão LPDDR5, o mais recente da indústria, além de processador Exynos 990, mais avançado até o momento produzido pela Samsung.

O hardware garante alto desempenho nas mais variadas tarefas no celular, incluindo fluidez na abertura de múltiplos aplicativos, seja no modo de tela dividida, pop-up, ou nos modos em conjunto, resultado em até três apps funcionando simultaneamente sem engasgos. O usuário também tem opção de manter apps e jogos mais importantes fixados na memória para garantir que eles nunca sejam fechados e estejam exatamente no ponto onde o usuário deixou, além de oferecer o modo Samsung DeX, que permite troca de dados com o computador.

O armazenamento de 128 GB no formato UFS 3.0, conhecido pela alta velocidade, também deve ser suficiente para a maioria dos usuários. Caso seja necessário mais espaço, é possível expandir a capacidade com uso de um cartão microSD de até 1 TB. O lançamento da Samsung também traz conectividade de ponta, como o primeiro modem Wi-Fi 6 em um celular no mundo e 4G com até 2 Gbps de velocidade de download. O modelo à venda no Brasil ainda não é compatível com 5G.

Galaxy S20 tem configurações de ponta, com chip Exynos 990 e 8 GB de RAM — Foto: Divulgação/Samsung
Galaxy S20 tem configurações de ponta, com chip Exynos 990 e 8 GB de RAM — Foto: Divulgação/Samsung

Galaxy S20 tem configurações de ponta, com chip Exynos 990 e 8 GB de RAM — Foto: Divulgação/Samsung

Bateria

A bateria de 4.000 mAh do Galaxy S20 traz um incremento de cerca de 18% em relação ao Galaxy S10. Segundo a Samsung, a capacidade é suficiente para um dia inteiro de uso. O celular também é compatível com recarga rápida, inclusive sem fios, e pode compartilhar energia com outros aparelhos com a função Wireless PowerShare. O recurso funciona com relógios, pulseiras e outros celulares compatíveis com o padrão Qi de recarga sem fio.

Software

O Galaxy S20 vem com Android 10 e o sistema OneUI 2.0 da Samsung. O software traz mais segurança e novos recursos de privacidade em relação ao Android 9 (Pie), como a possibilidade de impedir que apps acessem a localização do celular em segundo plano. Estão mantidos recursos clássicos da Samsung, como a Pasta Segura, que protege arquivos confidenciais com biometria, além do Samsung DeX, que mostra uma interface de desktop ao conectar o celular a um monitor.

Usuários do S20 também têm acesso aos sistemas de pagamento Google Pay e Samsung Pay, que transformam o celular em carteira e funcionam em praticamente qualquer terminal do país, além dos assistentes virtuais Google Assistente e Bixby, que enfim entende comandos de voz em português.

Galaxy S20 conta com Android 10 de fábrica — Foto: Thássius Veloso/TechTudo
Galaxy S20 conta com Android 10 de fábrica — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

Galaxy S20 conta com Android 10 de fábrica — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

Preço e disponibilidade

O Galaxy S20 chegou ao Brasil um pouco mais caro do que o Galaxy S10 há um ano: pulou de R$ 4.999 para R$ 5.499. Há apenas uma versão à venda, com memória RAM de 8 GB e armazenamento de 128 GB. O Galaxy S20 Plus, que traz tela e bateria maiores, além de câmera de profundidade, custa R$ 5.999. Já o mais avançado Galaxy S20 Ultra, que chama atenção pela câmera de 108 MP, tem preço de R$ 7.999 para a opção de 128 GB ou R$ 8.499 com 512 GB.

A PANDEMIA E A VELOCIDADE DA MINHA INTERNET

É fato que um dos resultados da quarentena do COVID-19 é a lentidão generalizada da internet, fato ocorrido não só no Brasil, mas mundialmente. Visto que, por meio das redes de telecomunicações as pessoas continuaram seu trabalho em home office, entraram em contato com amigos e familiares de modo mais interativo e também usaram a internet como forma de entretenimento e lazer.  

                Mas você, já conseguiu entender o por que a internet mundial ficou lenta?

                Para nós, conhecedores em telecomunicações, isso estava muito claro desde o início. Mas, para pessoas sem o conhecimento técnico, isso não é tão obvio como parece. Sendo assim,

Pretendo, de forma simples, tentar explicar o porquê de a internet quase ter “quebrado” durante a quarentena consequência do contexto da pandemia.

                O funcionamento da Internet pode ser dividido em 3 grandes grupos importantes:

Usuários: pessoas, empresas, computadores, celulares, IOTs em geral como TVs, Ar Condicionado, Lampadas, forno, geladeiras, etc.;

  1. Provedores de Telecomunicações: empresas que fornecem conectividade, que ligam a as suas redes de telecomunicações às redes dos provedores de conteúdo;
    b.1) Operadoras de acesso – última milha:
    que atendem ao usuário final, como a Hokinet, por exemplo, que conectam as empresas e residências nos provedores de conteúdo, para que você, em sua residência ou trabalho, tenha acesso ao conteúdo disponibilizado por eles.

b.2) Operadoras de transporte: este tipo de Operadora, possui redes de fibra óptica ligando o país nas centrais onde estão os conteúdos, geralmente atendem somente aos Provedores de Acesso e conectam as redes deles às redes dos provedores de conteúdo, são como grandes rodovias que escoam o tráfego de uma parte a outra.

  • Provedores de Conteúdo: empresas que fornecem o conteúdo da Internet, como Terra, Uol, PSN, Netflix, Facebook, Google, Amazon, Globo.com, Sites, etc..

                Para entender melhor ainda, explicarei a seguir o que são os Internet Exchange- IX, também conhecidos como PTT -Ponto de Troca de Tráfego.

                Internet Exchange são pontos concentradores de servidores de conteúdo, redes de telecomunicações de longa distância e cabos intercontinentais submarinos. A Internet como a usamos só existe por conta desses pontos. Geralmente, eles estão localizados em grandes centros como São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza, entre outros. O IX.Br em São Paulo é o maior ponto de troca de tráfego da América Latina e é o 3º maior agregador de tráfego de internet do mundo. O PTT-SP é uma grande rede em anel que interliga os servidores das maiores empresas de telecomunicações do país e de cabos ópticos submarinos que interligam continentes, com os escritórios e servidores dos Provedores de Conteúdo que são estrategicamente adicionados em pontos que facilitam a interconexão e troca de informações de forma rápida, barata e mais simples. Isto permite que a Internet funcione mais rápido com o menor custo, sendo  possível usarmos da forma como a usamos hoje.

                Dito isto, então, vamos ao ponto: Por que a internet quase quebrou e ficou lenta?

                Primeiro ponto: as empresas de última milha, provedores de acesso, preparam as suas redes para atender toda a demanda dos planos ofertados, é tecnicamente tranquilo atender as casas e empresas com as velocidades que cada tecnologia oferta: rádio, rádio 5G, xDSL, FTTx. A infraestrutura é preparada para atender as demandas, e se não houver problemas de infra, de forma geral, a culpa da lentidão, muitas vezes, não é da empresa que atende a última milha. Problemas podem acontecer, e o suporte regional deve solucionar o problema quando for de última milha ou defeito de algum equipamento em sua casa ou empresa.

                Segundo ponto: as Operadoras de Acesso se conectam à redes de Operadoras de transporte, que, levam o tráfego da nossa cidade para os grandes centros de tecnologia onde estão os servidores de conteúdo, lá nos PTTs. Aqui começa o problema da lentidão do excesso de usuários conectados ao mesmo tempo. Com as redes sobrecarregadas de tráfego, levar informações em grandes distancias com grande velocidade pode ser um problema. Em geral, as Operadoras de transporte têm tecnologia suficiente também para fazer que o tráfego escoe sem problemas. Mas, como aqui envolve um processo em que a informação passa por dentro de milhares de quilômetros de cabos de fibra óptica, podem ocorrer vários problemas que afetam o transporte: um bêbado que derruba com o carro um poste e quebra o cabo, um incêndio na beira de uma rodovia que queime o cabo, ou seja, qualquer acidente no meio do caminho pode afetar o transporte, assim o tráfego converge por outra rota, mas a sobrecarrega. Lembra que eu falei que é como uma rodovia? Então, se interrompe uma mão ou uma rodovia muito movimentada, o que acontece? Lentidão e muito trânsito, se tornando muito difícil ir de um lugar para o outro. Isto acontece com o tráfego de internet. Qualquer problema em uma grande Operadora de Transporte pode “engargalar” e congestionar o tráfego por outras vias, que causará lentidão generalizada.

                Terceiro ponto: as redes de telecomunicações do IX.Br tem altíssima tecnologia e capilaridade, capacidade suficiente para em condições perfeitas de funcionamento (sem nenhuma rota interditada por cabos rompidos ou equipamento com defeito), conseguir atender com sobra toda a demanda do Brasil. Ou seja, tanto das Operadoras de transporte, quanto das Operadoras de Conteúdo. O IX tem capacidade de rede suficiente para atender todas as requisições se tudo estiverem em pleno funcionamento.

                Quarto ponto: Os servidores dos provedores de conteúdo, estes sim são uma exceção, pois, fora os grandes provedores de conteúdo como Google, Netflix, Facebook, raros são outros que têm capacidade para atender o altíssimo fluxo de pessoas de uma só vez requisitando conteúdo. Cada site que você acessa, cada serviço que você usa, cada coisa que você abre na internet está hospedado em algum servidor em algum lugar. Um servidor nada mais é que um computador com capacidade muito grande de atendimento, mas mesmo sendo grande, ele é limitado ao número de acessos simultâneos que consegue atender. Esses servidores têm várias táticas para atender quando há muita demanda, uma delas, por exemplo, pode diminuir a quantidade de velocidade que cada usuário faz download a partir dele, então, mesmo que você tenha uma conexão de 100mbps, mas o servidor está muito cheio de acessos, para ele não entrar em colapso, limita sua velocidade em 2mbps, ou seja, você nunca conseguirá passar de 2mbps, mesmo tendo 100mbps na sua casa, pois o Servidor do outro lado diminuiu a sua velocidade de acesso para não entrar em colapso e sair do ar devido sua capacidade ter sido esgotada. Vale ressaltar também que os Servidores Gamers, aumentam a latência e diminuem a capacidade de processamento em salas lotadas e os Servidores de vídeo podem travar ou diminuir a qualidade do vídeo para continuar atendendo a todos…

                Então, por que a internet fica lenta?

                De forma muito geral, podem existir 3 problemas que afetam a sua internet.

  1. Problemas dentro da sua própria casa, como roteador muito antigo ou com defeito, neste caso, ele não aguenta todas as requisições de todos os aparelhos usando simultaneamente usando a mesma rede, e acaba que ao tentar atender todos, não atende ninguém com qualidade. Também pode ocorrer problemas de atenuação de sinal na tecnologia que te atende, por problemas de cabos, conectores ou interferências eletromagnéticas, de qualquer forma, estes problemas o seu provedor de acesso pode lhe ajudar resolver;
  • Problemas nas Operadoras de acesso ou de transporte e interconexões

Um equipamento pode queimar, pode haver rompimentos de cabos e rotas redundantes com menor velocidade para manter o serviço ativo, mas com lentidão, estes casos, se for problema na rede do provedor de acesso, este pode te ajudar a resolver, se for problema no transporte das Operadoras de longa distância, seu provedor de acesso não pode te ajudar diretamente, mas pode cobrar o restabelecimento da rota o mais rápido possível para dirimir a lentidão;

  • Problemas nos Servidores de Conteúdo

Os Servidores de conteúdo têm capacidade limitada de acessos/banda que podem servir seu conteúdo. O principal gargalo que causa lentidão na sua internet neste momento de pandemia está aqui neste ponto. Tanto é que foi noticiado vários Servidores baixando a qualidade dos vídeos para diminuir o tráfego e evitar que a internet quebrasse, tanto na Europa, que possui redes de telecomunicações mais modernas que as nossas, quanto aqui no Brasil. Para evitar a sobrecarga geral do sistema, os provedores de conteúdo limitaram a qualidade de vídeos, outros servidores de conteúdo, mesmo com limitação não estão conseguindo atender a todos com a mesma qualidade, então, muitos sites ainda continuam congestionados, servidores de Games com salas lotadas e latência alta, servidores de IPTV não conseguem manter o streaming com qualidade e não aguentam manter a demanda.

Enfim, na grande maior parte dos casos de IPTV e Games, a lentidão está relacionada ao gargalo lá na ponta final, nos servidores de conteúdo e nas redes que concentram o tráfego do Brasil todo indo para o mesmo lugar. Lembrando que, isso não se aplica aos serviços dos maiores provedores de conteúdo do mundo, que tem uma malha muito grande de servidores espalhados no Brasil, que são: Netflix, Facebook e Google, mas, mesmo eles, baixaram a qualidade dos vídeos para colaborar com o excesso de tráfego nas redes e tentar diminuir os gargalos em pontos de troca de tráfego e nas redes de Telecomunicações.                Espero com este texto ter ajudado e colaborado para o entendimento de o porquê a nossa internet está mais lenta nesses dias!