World of Warcraft e Out of Space são destaques nos lançamentos da semana

Semana contou com a chegada da expansão Shadowlands, em World of Warcraft, e o novo game brasileiro Out of Space

World of Warcraft: Shadowlands e Out of Space: Couch Edition são principais destaques nos lançamentos da semana. A oitava expansão do popular MMORPG da Blizzard chega após um pequeno atraso, enquanto Out of Space, do estúdio brasileiro Behold Studios (criadores de Chroma Squad), ganha sua versão para consoles.

Além deles, o clássico simulador Football Manager 2021 também é uma novidade, apesar de não estar disponível no Brasil. Confira, a seguir, mais detalhes sobre cada um dos lançamentos da semana para PC PlayStation 4 (PS4), Xbox One Nintendo Switch.

Shadowlands é a oitava expansão de World of Warcraft — Foto: Divulgação/Blizzard

World of Warcraft: Shadowlands – 23 de novembro – PC

A oitava expansão de World of Warcraft traz uma nova história, ambientada após os eventos de Batalha por Azeroth, quando Sylvanas abriu caminho pelas barreiras do pós-vida. Nas Terras Sombrias, local de descanso das almas do mundo de Warcraft, jogadores podem explorar cinco novas áreas e uma nova masmorra chamada Thanator, a Torra dos Malditos. Será possível, também, se aliar a um dos Pactos, seitas com suas próprias ambições que garantem habilidades e recompensas exclusivas. A expansão tem lançamento global e fica disponível no Brasil a partir das 20h (horário de Brasília) do dia 23 de novembro.

World of Warcraft: Shadowlands leva jogadores para as Terras Sombrias em aguardada expansão — Foto: Reprodução/Blizzard

Out of Space: Couch Edition – 25 de novembro – PS4, Xbox e Nintendo Switch

O novo game do estúdio brasileiro Behold Studios é uma aventura multiplayer que trata sobre a vida no espaço com seus amigos. Jogadores precisam manter uma casa, que é também uma nave espacial, limpa de alienígenas gosmentos, além de equipá-la com decorações e itens úteis. Tudo isso deve ser feito enquanto administram algumas necessidades de seus personagens, como sono e fome. O game, que já estava disponível para PC, chega agora nos consoles, com multiplayer cooperativo local e online.

Out of Space: Couch Edition traz divertidas confusões em multiplayer do estúdio brasileiro de Chroma Squad — Foto: Reprodução/Steam

Black Friday 2020: lista do Procon-SP revela lojas online para evitar

O Procon-SP mantém um site que reúne lojas online das quais os consumidores devem fugir por não serem confiáveis. A lista, chamada de “Evite esses sites”, pode ser útil especialmente na hora de fazer compras na Black Friday 2020. Ela engloba empresas que receberam reclamações de usuários diretamente no órgão, foram notificadas, não responderam ou não foram encontradas. Mais de 170 lojas de diferentes segmentos estão cadastradas no site, como comércios de eletrônicos, móveis, livros, objetos de decoração, roupas e cosméticos.
A lista mostra informações como o endereço URL do e-commerce, a razão social, CPF ou CNPJ, a data em que foi incluída no site e se ainda estava disponível ou fora do ar no momento da inclusão na ferramenta. O Procon recomenda que o usuário tire dúvidas sobre a idoneidade de cada empresa antes de comprar, podendo colher informações no Procon de sua cidade ou através dos canais de atendimento do órgão.

Procon-SP mostra empresas que os consumidores devem evitar na Black Friday — Foto: Reprodução/Procon-SP

A página “Evite esses sites” pode ser acessada pelo endereço sistemas.procon.sp.gov.br/evitesite/list/evitesites.php. A última atualização da lista foi feita em março de 2020. Algumas das lojas foram cadastradas na ferramenta no ano de 2015, e permanecem até hoje entre as lojas que devem ser evitadas. A grande maioria dos estabelecimentos listados já está fora do ar, mas vale checar a confiabilidade de cada uma.

Segundo o Fernando Capez, Diretor Executivo do Procon-SP, as fiscalizações da Black Friday 2020 serão intensificadas, devido a um aumento no número de reclamações relacionadas a vendas online. “A publicidade pode criar uma falsa imagem de promoção e levar o consumidor a comprar um produto que ele não necessita por um preço que pode não ser vantajoso”.

Lançamento do PlayStation 5 (PS5): novo console da Sony chega ao Brasil

O PlayStation 5 (PS5) chegou oficialmente ao Brasil nesta quinta-feira (19), com uma semana de atraso no lançamento em comparação a países como Estados Unidos, Canadá e Japão. Na hora da compra, os consumidores podem optar por duas edições: uma com leitor de Blu-ray, pelo preço sugerido de R$ 4.699, e outra totalmente digital, sem o driver de discos, por R$ 4.199. Os consoles ficaram mais baratos após aprovação de uma redução de 10% no IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), uma das taxações que incidem sobre a comercialização de videogames no Brasil.

Um dos grandes destaques do PS5 está no seu controle, oDualSense, que investe nas tecnologias de feedback háptico e gatilhos adaptáveis para oferecer uma experiência tátil única, variável conforme o que acontece nos games. A ideia é que o joystick transmita diversas sensações, como, por exemplo, o tipo de textura em que um personagem pisa e a resistência de um arco e flecha. Uma demonstração do uso do DualSense está em Astro’s Playroom, um game desenvolvido pela Team Asobi que já vem pré-instalado em todas as unidades do console.

PlayStation 5 (PS5) chega ao Brasil em 19 de novembro por preços a partir de R$ 4.199 — Foto: Divulgação/Sony
O controle DualSense é um dos grandes destaques do PlayStation 5 (PS5) — Foto: Divulgação/Sony

Além do hardware mais potente se comparado ao PlayStation 4 (PS4), o PS5 tem um SSD de alta velocidade. A novidade promete melhor carregamento dos games e é retro-compatível com quase toda a biblioteca do console antecessor – exceto dez títulos que não rodam no videogame.

Alguns jogos seletos do PS4, quando rodados no PS5, podem aproveitar o chamado Game Boost. O recurso oferece suporte a uma maior velocidade de carregamento, além de melhores taxas de quadros por segundo e resolução dinâmica até 4K.

Dia dos Solteiros 2020: cinco sites com promoções e descontos no 11/11

O Dia dos Solteiros é um dos eventos mais importantes no calendário do e-commerce chinês. O dia foi criado por universitários nos anos 1990 como uma celebração aos solteiros (por isso, a escolha do dia 11/11, que é composto apenas pelo número 1), e incorporado pela gigante Alibaba anos depois. A partir de 2009, a empresa, que é dona do AliExpress, passou a realizar campanhas anuais de descontos.

Na edição de 2019, as vendas superaram US$ 38 bilhões, valor que é cinco vezes maior do que o faturamento da Black Friday nos Estados Unidos. A iniciativa chegou ao Brasil no ano passado em diferentes lojas de varejo e se repete em 2020, com a promessa de ofertas em diversas categorias. Veja, a seguir, cinco lojas participantes do evento 11/11 e como conseguir descontos em produtos.

Veja cinco lojas online com promoções no Dia dos Solteiros — Foto: Paulo Alves/TechTudo
AliExpress promete descontos de até 60%  — Foto: Reprodução/Paulo Alves

2. Americanas.com

Americanas.com também participa do festival e promete descontos em milhões de artigos e frete grátis. O foco da varejista brasileira para o 11.11 é a venda de itens importados que podem ser adquiridos tanto pelo site como nos aplicativos para Android e iPhone (iOS), com entrega por intermédio da empresa.

As ofertas abrangem produtos de todos os departamentos da loja. Na seção de informática, por exemplo, é possível encontrar itens em promoção horas antes do início da campanha. Itens com o selo do festival trazem descontos de até 84% do valor original, segundo a empresa.

Itens em oferta já podem ser encontrados no site da Americanas.com desde hoje — Foto: Reprodução/Paulo Alves

3. Mini In The Box

A chinesa Mini In The Box participa do evento com descontos em produtos das categorias de eletrônicos e acessórios. Os itens em oferta ficam na aba “11.11 Singles’ Day”, na qual diferentes promoções devem aparecer durante as 24 horas de quarta-feira (11).

Além disso, a marca oferece cupons de desconto de até 10% em compras acima de 49 euros (aproximadamente R$ 310) e um bônus de 2 euros (aproximadamente R$ 12) para novos usuários. Para aproveitar as promoções, é preciso criar um cadastro no site, adicionar os itens no carrinho e finalizar o pagamento. A redução de preço será feita automaticamente.

Mini In The Box oferece descontos e cupons aos usuários — Foto: Reprodução/Paulo Alves

4. Gearbest

Gearbest traz descontos que podem superar os 60% em itens selecionados entre os dias 10 e 13 de novembro. Assim como o AliExpress, o e-commerce coloca à disposição do usuário cupons de desconto que reduzem o preço ao finalizar a compra. Para acessar os códigos, também é preciso criar um novo cadastro na loja.

Entre os artigos em promoção, há brinquedos, computadores, eletrônicos e eletrodomésticos. Segundo a Gearbest, todas as compras acima de US$ 80 (cerca de R$ 429) também rendem desconto automático de US$ 5 (aproximadamente R$ 26,80) em pagamentos realizados com PayPal.

Gearbest oferece desconto de cerca 60% entre 10 e 13 de novembro — Foto: Reprodução/Paulo Alves

5. Banggood

Banggood participa do evento de compras com descontos em todo o site e possibilidade de parcelamento em até seis vezes sem juros. A promoção começou na última segunda-feira (9) e vai até 23h de quarta-feira (11).

O site também oferece códigos de desconto que podem render até 80% de abatimento extra em itens como relógios, smartphones e drones, assim como prêmios de até US$ 20 (cerca de R$ 107) para novos usuários cadastrados no site.

Black Friday 2020: dez dicas para economizar e aproveitar as ofertas

Black Friday 2020 acontece na sexta-feira 27 de novembro, com promessa de descontos em grande variedade de produtos. No entanto, é importante ficar atento a dicas que podem ajudar você a economizar mais, evitando estourar o orçamento ou ter outros problemas no futuro. Por exemplo, vale monitorar os preços para fugir de promoções no estilo “metade do dobro”, ficar atento a fretes mais caros e aproveitar as lojas que oferecem cashback.

Além disso, outras sugestões incluem ter um limite de gastos definido e ficar atento a promoções surpresa. A seguir, veja dez dicas para aproveitar as ofertas e gastar menos durante a Black Friday 2020, principalmente em compras online.

Planejamento e cuidado com a ansiedade são importantes para aproveitar a Black Friday — Foto: Filipe Garrett/TechTudo

1. Pesquisar preços com antecedência

O ideal é que você tenha um plano e uma ideia clara a respeito do que pretende comprar com desconto na promoção. Com isso em mente, a dica é criar o hábito de ir acompanhando os preços nas semanas que antecedem a Black Friday. Assim, você consegue avaliar se as lojas já estão aplicando descontos para atrair o consumidor, ou mesmo se o preço está subindo de forma suspeita, indicando risco do famoso “metade do dobro” na data da promoção.

Serviços como o Compare TechTudo contam com gráfico que permite visualizar a evolução dos preços — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

2. Comparar valores em diferentes lojas

No ponto anterior, mencionamos o uso de buscadores de preço para criar uma noção de quanto cada item da sua lista de compra custa fora da Black Friday e nos dias que antecedem a promoção. No entanto, outro benefício dos recursos citados acima é a possibilidade de listar preços de diferentes lojas para o mesmo produto. Isso permite entender onde você encontra melhores descontos e condições, indicando sempre quem está com valor mais baixo no momento da sua busca.

Compare TechTudo permite acompanhar a evolução dos preços e descobrir quem está oferecendo o valor mais baixo — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

3. Utilizar cupons de desconto

Uma dica importante – e que vale até fora da Black Friday – é sempre conferir sites de cupons de desconto. Essas páginas disponibilizam códigos que você pode aplicar nas compras para reduzir o valor final na hora do pagamento, algo que pode contribuir para economizar bastante em alguns casos, ou ainda abater valores de frete.

TechTudo possui seção especial que oferece cupons de desconto de diversas lojas do Brasil — Foto: Reprodução/Lívia Dâmaso

Exemplos de sites que oferecem cupons de desconto são o Cupons TechTudoMeuCupomPelando Cuponation, entre outros. Para usar, procure pela loja em que deseja fazer a compra e verifique os resultados para saber se há algum cupom que cobre o tipo de produto que você está comprando.

4. Aproveitar lojas que oferecem cashback

cashback é um tipo de atrativo que lojas e serviços financeiros oferecem para o consumidor. A ideia é simples: você recebe uma porcentagem do valor da compra de volta como incentivo para gastar em novos produtos. Em algumas plataformas, o dinheiro que volta pode até ser depositado direto na conta bancária, representando um desconto final ainda maior.

Cashback permite recuperar parte do valor pago para gastar em outros produtos — Foto: Marcela Franco/ TechTudo

Há diferentes plataformas de cashback em operação no Brasil, como MéliuzBebluePicPay Ame Digital. O ideal é que você crie uma conta no serviço de sua preferência, ou que funcione na loja em que você quer comprar, para gerenciar seus pagamentos e acumular seus retornos.

5. Verificar o valor do frete para ver se a compra compensa

A ansiedade para fazer uma compra e aproveitar aquele desconto que parece generoso pode fazer com que um detalhe passe despercebido: o valor do frete. Inclusive, queixas relacionadas a fretes extorsivos, que acabam eliminando a vantagem do desconto, é algo bastante comum na Black Friday.

Lembre de simular o frete e verificar se o valor não é abusivo — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

Nesse casos, a dica é verificar com atenção o valor do frete antes de fazer a compra. Geralmente, esse custo é calculado de acordo com o seu CEP, na própria página do produto. Cobrar pelo transporte da sua encomenda é algo legítimo, mas valores altos demais, que fazem a promoção não valer a pena, são um truque usado por lojas comum na Black Friday.

6. Estabelecer um orçamento prévio

Essa é uma dica importante para quem tem mais dificuldade com disciplina financeira e tem a tendência de gastar mais do que pode. Além de controlar a ansiedade, é importante definir os produtos realmente necessários e conhecer com clareza o limite do seu orçamento.

Estabeleça um orçamento prévio para gastar na Black Friday — Foto: Tainah Tavares/TechTudo

Defina uma quantia limite que você está disposto a gastar na Black Friday e tenha uma ideia clara de suas prioridades. Precisa de um notebook novo? Então, evite comprometer sua chance de comprar o laptop ideal gastando em itens não essenciais apenas pelo bom preço. Da mesma forma, saiba conter os impulsos depois de garantir o que era essencial.

7. Checar a reputação das lojas

É fundamental checar a reputação de lojas antes de fazer uma compra, especialmente, aquelas que você não conhece e onde nunca comprou. Isso evita dores de cabeça com lojistas de qualidade inferior e até mesmo golpes relacionados a lojas falsas, algo comum na Internet. Para verificar a reputação e ver como a empresa interage com seus consumidores e lida com as queixas, o Reclame Aqui! é uma boa opção: use o recurso de busca e pesquise pela loja para checar o seu perfil, volume de queixas e como ela se comporta quando alguém reclama do serviço.

Reclame Aqui é uma boa dica para verificar se a loja é confiável — Foto: Gabrielle Lancellotti/TechTudo

Já para identificar lojas falsas e que armam golpes, uma dica é olhar a página Sites Fraudulentos do Brasil no Facebook, que identifica farsas na web, explicando porque o site em questão é suspeito e o motivo para evitá-lo. Outro recurso são listas do Procon-SP e de outros estados, que concentram sites irregulares e lojas falsas da Internet.

8. Ficar de olho em serviços que acompanham ofertas

Todos ficam de olho nas promoções da Black Friday, mas encontrá-las em um único espaço nem sempre pode ser uma tarefa fácil para quem precisa procurar tudo sozinho. No meio de tantos descontos, você pode acabar perdendo exatamente aquela promoção pela qual se preparou.

Promoções no Promobit são cadastradas pelos próprios usuários — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

Uma ferramenta que agiliza esse processo é o Promobit: o site é colaborativo e alimentado por usuários comuns que encontram promoções e as publicam na plataforma. É possível escolher os produtos mais desejados para ser avisado por e-mails e notificações a respeito das oscilações de preço.

9. Acompanhar as redes sociais de lojas e marcas

Outra fonte de promoções e descontos são as redes sociais de marcas e lojas. Durante a Black Friday, é comum que ofertas e ações promocionais curtas, que oferecem poucas unidades de determinado produto ou têm duração breve, sejam anunciadas nesses espaços. Além disso, uma estratégia para ficar por dentro de promoções surpresas são as listas de e-mails das lojas, também usadas para divulgar ações do tipo. Para se inscrever, é preciso liberar o envio mensagens promocionais do e-commerce. Após a Black Friday, é possível cancelar o recebimento dos e-mails.

Acompanhar as redes sociais de lojas e marcas é uma boa forma de conseguir descontos na Black Friday — Foto: Nicolly Vimercate/TechTudo

10. Escolher o melhor momento para a compra

Uma dúvida comum na Black Friday é saber o momento ideal para comprar. O desconto que aparece 10 dias antes da promoção é baixo o suficiente? Será que o preço vai baixar mais? Ou vai começar a subir? Não há uma receita infalível, mas o ideal é segurar o impulso e deixar para fazer a compra no dia ou véspera do evento, já que nessas datas os valores tendem a ser mais baixos do que em pré-promoções.

Melhor momento para comprar é na véspera ou no dia da promoção — Foto: Nicolly Vimercate/TechTudo

Galaxy S21 Ultra vaza na web e pode vir sem carregador

O vindouro Galaxy S21 Ultra teve detalhes da ficha técnica vazados antes do lançamento oficial. O celular da Samsung deve ter tela AMOLED Dinâmico com taxa de atualização de 144 Hz, câmera de até 108 MP e bateria parruda. Para completar, a gigante sul-coreana pode seguir os passos da Apple e retirar carregador e fone de ouvido da caixa do smartphone de ponta.

O smartphone deve sair de fábrica com o Android 11, novo sistema móvel do Google lançado em setembro de 2020. A Samsung não confirmou os rumores.

iPhone 12 surpreende em teste de resistência feito por seguradora

iPhone 12 se deu bem em testes de resistência conduzidos pela seguradora Allstate, que aponta o lançamento da Apple como o smartphone mais resistente já testado pela companhia. Entre os resultados, a seguradora destaca a habilidade do iPhone 12 em sobreviver a quedas de 1,8 metro de altura, mantendo todas as suas funcionalidades, inclusive de tela, embora arranhões e vidro estilhaçado tenham sido observados.

Equipados com o Ceramic Shield (“Escudo de Cerâmica”, em tradução livre), classificado como o “vidro mais resistente já usado em um celular” pela Apple, os iPhones 12 e 12 Pro ainda assim apresentaram vidro estilhaçado depois dos testes.

Golpe do sorteio de streaming: seja mais esperto que os malandros

Entra semana, sai semana e os jornalistas de tecnologia seguem noticiando os diversos tipos de golpe via internet. A mais nova falcatrua da praça, no entanto, merece um texto especial: eu estou falando do golpe do streaming, em que são prometidas contas grátis no GloboplayNetflix e outras plataformas de vídeo. Para isso, bastaria participar de um suposto sorteio divulgado via InstagramFacebook ou Twitter.

Cuidado, pois é a maior roubada. Os malandros criam promoções falsas nas redes sociais com o objetivo de coletar informações das vítimas. Desta forma, podem abastecer obscuras bases de dados que circulam no esgoto digital e que possibilitam aplicar golpes ainda mais sofisticados.

Huawei Mate 40 é lançado sem apps do Google; saiba preço e ficha técnica

Smartphones da gigante chinesa trazem câmera Leica, conexão 5G e processador de 5 nanômetros. Preços variam entre R$ 5.930 e R$ 15.140.

Huawei lançou os celulares da nova linha Mate 40. A safra é composta por três smartphones: Huawei Mate 40, Huawei Mate 40 Pro e Huawei Mate 40 Plus. Eles foram apresentados em um evento online e chegam primeiro à Europa por preços que, convertidos, variam entre R$ 5.930 e R$ 15.140. Os telefones se destacam pela promessa de conjunto fotográfico poderoso, mas não trazem os principais apps e serviços do Google devido ao entrave comercial com o governo dos Estados Unidos.

Os novos aparelhos ainda saem de fábrica com suporte à internet 5G, que promete ser até 20 vezes mais rápida do que o 4G tradicional. Além disso, trazem o processador Kirin 9000, chip de 5 nanômetros.

Huawei Mate 40 será comercializado na Europa em cinco cores diferentes — Foto: Divulgação/Huawei

Confira abaixo os preços dos três smartphones na Europa. Não há previsão de lançamento no Brasil.

  • Huawei Mate 40 (RAM de 8 GB + 128 GB) — 899 euros (R$ 5.930)
  • Huawei Mate 40 Pro (RAM de 8 GB + 256 GB) —1.199 euros (R$ 7.910)
  • Huawei Mate 40 Pro Plus (RAM de 12 GB + 256 GB) — 1.399 euros (R$ 9.230)
  • Huawei Mate 40 Pro Plus Porsche Design (RAM de 12 GB + 512 GB) — 2.295 euros (R$ 15.140)
    O conjunto fotográfico do Huawei Mate 40 Pro é formado por uma câmera tripla composta por sensor principal de 50 MPteleobjetiva de 12 MP com zoom óptico de até 7x, além de uma câmera ultra wide de 20 MP com abertura f/1.8. A empresa usa lentes Leica, uma das principais fabricantes do mercado de fotografia. Já a versão tradicional do Huawei Mate 40 também tem três sensores na traseira, mas oferece zoom de apenas 5x.
Linha Mate 40 aposta em câmeras para atrair novos clientes — Foto: Divulgação/Huawei

A câmera destes smartphones também podem gravar vídeos com 4K de resolução de imagem e 60 quadros por segundo, o que promete deixar a filmagem mais fluida. De acordo com o site especializado TechRadar, as especificações presentes são similares ao Huawei P40, principal produto da fabricante quando o assunto é qualidade de câmera.

Já o Huawei Mate 40 Pro Plus promete até 17 vezes de zoom óptico combinando duas lentes teleobjetivas, sendo uma com 3x de zoom e outra com 10x. Vale ressaltar que o zoom total não é uma soma direta dessas duas lentes, mas sim como elas conseguem trabalhar juntas.

Huawei Mate 40 possui tela de 90 Hz — Foto: Divulgação/Huawei

As telas dos três aparelhos possuem uma taxa de atualização de 90 Hz, o que é bem acima dos 30 Hz dos smartphones padrões e até dos 60 Hz daqueles considerados premium. Por outro lado, ainda fica abaixo dos 120 Hz prometidos pelos celulares gamers. O Huawei Mate 40 tem um display de 6,5 polegadas, enquanto a série Pro possui 6,75 polegadas.

Os novos smartphones da Huawei chegarão às lojas sem os serviços principais do Google, como Google DriveMapsGmail e outros, e sem acesso ao Google Play Store para baixar outros aplicativos de forma oficial. Isso se deve às sanções do governo dos Estados Unidos que proibiu as empresas americanas de realizar negócios com Huawei, acusando a fabricante chinesa de espionagem.

Com este bloqueio, outros aplicativos de terceiros também irão funcionar de forma defasada no smartphone da Huawei, como o Uber por exemplo, que depende da API do Google Maps para traçar as rotas para os seus motoristas.

iPhone 12 com 5G fica atrás de celulares Android em teste de bateria

Novos smartphones da Apple apresentaram resultados significativamente melhores quando conectados à rede 4G.

iPhone 12 com 5G fica atrás de celulares Android em teste de bateria

Uma das principais novidades da do linha iPhone 12, o 5G colocou os celulares em desvantagem no teste de bateria. O experimento realizado pelo site especializado Tom’s Guide mostrou que a duração da bateria do iPhone 12 e do iPhone 12 Pro é menor que smartphones Android também compatíveis com a tecnologia, como Galaxy S20Galaxy S20 PlusOnePlus 8T e Google Pixel 5.

Os resultados também foram inferiores aos modelos antecessores, iPhone 11 e iPhone 11 Pro, estes compatíveis apenas com 4G.

Como de praxe, a Apple não revelou a capacidade da bateria dos novos modelos em mAh, mas sabe-se que seus componentes são menores do que na geração passada. No entanto, a fabricante havia afirmado que autonomia deveria ser a mesma em ambas as gerações, mesmo com o 5G, graças ao poderoso processador A14 Bionic, fabricado com a tecnologia de cinco nanômetros.

O teste do Tom’s Guide é feito com base em navegação na web a 150 nits de brilho de tela. A cada 30 segundos, um novo site é aberto até que a bateria acabe.

O iPhone 12 foi testado usando a rede 5G da operadora AT&T e ficou ligado por 8 horas e 25 minutos, uma diferença de quase três horas em comparação com o iPhone 11 (com 4G), que desligou após 11 horas e 16 minutos. Quando a rede foi alterada para o 4G, contudo, a duração subiu para 10 horas e 25 minutos, ainda menor que o antecessor, mas consideravelmente melhor que o primeiro teste.

Já o iPhone 12 Pro conseguiu superar em uma hora seu antecessor quando conectado a rede 4G, durando 11 horas e 24 minutos contra as 10 horas e 24 minutos do iPhone 11 Pro. Quando ligado ao 5G, contudo, a duração do novo modelo caiu para 9 horas e 6 minutos.

Bateria do iPhone 12 dura menos que a do antecessor — Foto: Reprodução/Apple

Os resultados também não ficaram a favor da Apple quando comparados a aparelhos Android compatíveis com 5G. Neste caso, os dispositivos foram testados e comparados usando apenas a conexão 5G, mas com taxa de atualização da tela diferentes.

No caso do Galaxy S20 com display a 60Hz, o resultado foi superior a ambos os modelos do iPhone 12, durando cerca de 9 horas e meia. Com a tela a 120 Hz, contudo, a duração caiu para pouco mais de 8 horas, ficando atrás de ambos os modelos da Apple. O Galaxy S20 Plus, por sua vez, obteve resultados melhores e funcionou por 10 horas e 31 minutos com tela a 60 Hz e 8 horas e 55 minutos a 120 Hz. Sendo assim, durou mais que o iPhone 12 nos dois cenários e perdeu para o iPhone 12 Pro apenas no teste com display a 120 Hz.

A comparação com o OnePlus 8T levou a resultados semelhantes aos do Galaxy S20 Plus. O dispositivo da fabricante chinesa durou 10 horas e 49 minutos e quase 9 horas com tela a 60Hz e 120 Hz respectivamente, também perdendo para a Apple apenas no último teste. Já o Google Pixel 5, testado com tela a 60 Hz e 90 Hz, obteve resultado superior ao iPhone 12 nos dois casos, durando cerca de 10 horas e 9 horas e meia, respectivamente.

Apesar de ser um teste baseado somente em navegação na web, os resultados servem para dar uma noção da capacidade dos novos.

No caso do iPhone 12, o teste mostra uma autonomia bem menor quando conectado ao 5G, indicativo de que o usuário poderia alterar manualmente para o 4G para economizar energia. Além disso, a linha conta com o modo Smart Data, que muda automaticamente para o 4G quando o aparelho não está sendo usado para navegar na internet.

O iPhone 12 está a venda nos Estados Unidos por preços partindo de US$ 829 (cerca de R$ 4.650 em conversão direta), enquanto o iPhone 12 Pro começa em US$ 999 (R$ 5.600). Ainda não há previsão para a chegada dos celulares no Brasil.