Golpe do sorteio de streaming: seja mais esperto que os malandros

Entra semana, sai semana e os jornalistas de tecnologia seguem noticiando os diversos tipos de golpe via internet. A mais nova falcatrua da praça, no entanto, merece um texto especial: eu estou falando do golpe do streaming, em que são prometidas contas grátis no GloboplayNetflix e outras plataformas de vídeo. Para isso, bastaria participar de um suposto sorteio divulgado via InstagramFacebook ou Twitter.

Cuidado, pois é a maior roubada. Os malandros criam promoções falsas nas redes sociais com o objetivo de coletar informações das vítimas. Desta forma, podem abastecer obscuras bases de dados que circulam no esgoto digital e que possibilitam aplicar golpes ainda mais sofisticados.

Huawei Mate 40 é lançado sem apps do Google; saiba preço e ficha técnica

Smartphones da gigante chinesa trazem câmera Leica, conexão 5G e processador de 5 nanômetros. Preços variam entre R$ 5.930 e R$ 15.140.

Huawei lançou os celulares da nova linha Mate 40. A safra é composta por três smartphones: Huawei Mate 40, Huawei Mate 40 Pro e Huawei Mate 40 Plus. Eles foram apresentados em um evento online e chegam primeiro à Europa por preços que, convertidos, variam entre R$ 5.930 e R$ 15.140. Os telefones se destacam pela promessa de conjunto fotográfico poderoso, mas não trazem os principais apps e serviços do Google devido ao entrave comercial com o governo dos Estados Unidos.

Os novos aparelhos ainda saem de fábrica com suporte à internet 5G, que promete ser até 20 vezes mais rápida do que o 4G tradicional. Além disso, trazem o processador Kirin 9000, chip de 5 nanômetros.

Huawei Mate 40 será comercializado na Europa em cinco cores diferentes — Foto: Divulgação/Huawei

Confira abaixo os preços dos três smartphones na Europa. Não há previsão de lançamento no Brasil.

  • Huawei Mate 40 (RAM de 8 GB + 128 GB) — 899 euros (R$ 5.930)
  • Huawei Mate 40 Pro (RAM de 8 GB + 256 GB) —1.199 euros (R$ 7.910)
  • Huawei Mate 40 Pro Plus (RAM de 12 GB + 256 GB) — 1.399 euros (R$ 9.230)
  • Huawei Mate 40 Pro Plus Porsche Design (RAM de 12 GB + 512 GB) — 2.295 euros (R$ 15.140)
    O conjunto fotográfico do Huawei Mate 40 Pro é formado por uma câmera tripla composta por sensor principal de 50 MPteleobjetiva de 12 MP com zoom óptico de até 7x, além de uma câmera ultra wide de 20 MP com abertura f/1.8. A empresa usa lentes Leica, uma das principais fabricantes do mercado de fotografia. Já a versão tradicional do Huawei Mate 40 também tem três sensores na traseira, mas oferece zoom de apenas 5x.
Linha Mate 40 aposta em câmeras para atrair novos clientes — Foto: Divulgação/Huawei

A câmera destes smartphones também podem gravar vídeos com 4K de resolução de imagem e 60 quadros por segundo, o que promete deixar a filmagem mais fluida. De acordo com o site especializado TechRadar, as especificações presentes são similares ao Huawei P40, principal produto da fabricante quando o assunto é qualidade de câmera.

Já o Huawei Mate 40 Pro Plus promete até 17 vezes de zoom óptico combinando duas lentes teleobjetivas, sendo uma com 3x de zoom e outra com 10x. Vale ressaltar que o zoom total não é uma soma direta dessas duas lentes, mas sim como elas conseguem trabalhar juntas.

Huawei Mate 40 possui tela de 90 Hz — Foto: Divulgação/Huawei

As telas dos três aparelhos possuem uma taxa de atualização de 90 Hz, o que é bem acima dos 30 Hz dos smartphones padrões e até dos 60 Hz daqueles considerados premium. Por outro lado, ainda fica abaixo dos 120 Hz prometidos pelos celulares gamers. O Huawei Mate 40 tem um display de 6,5 polegadas, enquanto a série Pro possui 6,75 polegadas.

Os novos smartphones da Huawei chegarão às lojas sem os serviços principais do Google, como Google DriveMapsGmail e outros, e sem acesso ao Google Play Store para baixar outros aplicativos de forma oficial. Isso se deve às sanções do governo dos Estados Unidos que proibiu as empresas americanas de realizar negócios com Huawei, acusando a fabricante chinesa de espionagem.

Com este bloqueio, outros aplicativos de terceiros também irão funcionar de forma defasada no smartphone da Huawei, como o Uber por exemplo, que depende da API do Google Maps para traçar as rotas para os seus motoristas.

iPhone 12 com 5G fica atrás de celulares Android em teste de bateria

Novos smartphones da Apple apresentaram resultados significativamente melhores quando conectados à rede 4G.

iPhone 12 com 5G fica atrás de celulares Android em teste de bateria

Uma das principais novidades da do linha iPhone 12, o 5G colocou os celulares em desvantagem no teste de bateria. O experimento realizado pelo site especializado Tom’s Guide mostrou que a duração da bateria do iPhone 12 e do iPhone 12 Pro é menor que smartphones Android também compatíveis com a tecnologia, como Galaxy S20Galaxy S20 PlusOnePlus 8T e Google Pixel 5.

Os resultados também foram inferiores aos modelos antecessores, iPhone 11 e iPhone 11 Pro, estes compatíveis apenas com 4G.

Como de praxe, a Apple não revelou a capacidade da bateria dos novos modelos em mAh, mas sabe-se que seus componentes são menores do que na geração passada. No entanto, a fabricante havia afirmado que autonomia deveria ser a mesma em ambas as gerações, mesmo com o 5G, graças ao poderoso processador A14 Bionic, fabricado com a tecnologia de cinco nanômetros.

O teste do Tom’s Guide é feito com base em navegação na web a 150 nits de brilho de tela. A cada 30 segundos, um novo site é aberto até que a bateria acabe.

O iPhone 12 foi testado usando a rede 5G da operadora AT&T e ficou ligado por 8 horas e 25 minutos, uma diferença de quase três horas em comparação com o iPhone 11 (com 4G), que desligou após 11 horas e 16 minutos. Quando a rede foi alterada para o 4G, contudo, a duração subiu para 10 horas e 25 minutos, ainda menor que o antecessor, mas consideravelmente melhor que o primeiro teste.

Já o iPhone 12 Pro conseguiu superar em uma hora seu antecessor quando conectado a rede 4G, durando 11 horas e 24 minutos contra as 10 horas e 24 minutos do iPhone 11 Pro. Quando ligado ao 5G, contudo, a duração do novo modelo caiu para 9 horas e 6 minutos.

Bateria do iPhone 12 dura menos que a do antecessor — Foto: Reprodução/Apple

Os resultados também não ficaram a favor da Apple quando comparados a aparelhos Android compatíveis com 5G. Neste caso, os dispositivos foram testados e comparados usando apenas a conexão 5G, mas com taxa de atualização da tela diferentes.

No caso do Galaxy S20 com display a 60Hz, o resultado foi superior a ambos os modelos do iPhone 12, durando cerca de 9 horas e meia. Com a tela a 120 Hz, contudo, a duração caiu para pouco mais de 8 horas, ficando atrás de ambos os modelos da Apple. O Galaxy S20 Plus, por sua vez, obteve resultados melhores e funcionou por 10 horas e 31 minutos com tela a 60 Hz e 8 horas e 55 minutos a 120 Hz. Sendo assim, durou mais que o iPhone 12 nos dois cenários e perdeu para o iPhone 12 Pro apenas no teste com display a 120 Hz.

A comparação com o OnePlus 8T levou a resultados semelhantes aos do Galaxy S20 Plus. O dispositivo da fabricante chinesa durou 10 horas e 49 minutos e quase 9 horas com tela a 60Hz e 120 Hz respectivamente, também perdendo para a Apple apenas no último teste. Já o Google Pixel 5, testado com tela a 60 Hz e 90 Hz, obteve resultado superior ao iPhone 12 nos dois casos, durando cerca de 10 horas e 9 horas e meia, respectivamente.

Apesar de ser um teste baseado somente em navegação na web, os resultados servem para dar uma noção da capacidade dos novos.

No caso do iPhone 12, o teste mostra uma autonomia bem menor quando conectado ao 5G, indicativo de que o usuário poderia alterar manualmente para o 4G para economizar energia. Além disso, a linha conta com o modo Smart Data, que muda automaticamente para o 4G quando o aparelho não está sendo usado para navegar na internet.

O iPhone 12 está a venda nos Estados Unidos por preços partindo de US$ 829 (cerca de R$ 4.650 em conversão direta), enquanto o iPhone 12 Pro começa em US$ 999 (R$ 5.600). Ainda não há previsão para a chegada dos celulares no Brasil.

iPhone 12 vendeu o dobro do iPhone 11 nos primeiros dias, estima analista

A demanda pelo iPhone 12 parece ter superado a procura pelo iPhone 11 na fase de pré-venda. É o que afirma o analista Ming-Chi Kuo, conhecido por acertar previsões sobre a cadeia produtiva da Apple. De acordo com as projeções dele, o novo celular já comercializou mais que o dobro de unidades do iPhone 11 na fase de encomendas do ano passado.

Kuo ainda afirmou que o iPhone 12 Pro é o queridinho dos usuários e deve ser o responsável por cerca de 40 a 45% das vendas da nova geração. A Apple não divulgou oficialmente os números de vendas.

Segundo o analista, enquanto o iPhone 11 registrou entre 500 e 800 mil unidades comercializadas nas primeiras 24 horas, o sucessor chega a aproximadamente 2 milhões de aparelhos encomendados. O iPhone 12 e iPhone 12 Pro estão em pré-venda desde 16 de outubro, mas a fase de encomenda do iPhone 12 Mini e iPhone 12 Pro Max está prevista para começar somente no dia 6 de novembro.

Vale lembrar que o iPhone 12 ficou marcado pelo início da estratégia da Apple de não incluir mais os fones de ouvido e o adaptador de tomada na caixa dos smartphones. No entanto, parece que esta decisão não afastou os consumidores.

Os smartphones que terão a pré-venda a partir de novembro – iPhone 12 Mini e iPhone 12 Pro Max – podem complementar as vendas, mas não há projeções tão elevadas para eles em comparação aos dois aparelhos já disponíveis. Os aparelhos devem representar entre 15-20% e 10-15% das vendas, respectivamente.

Mesmo sem contar com a venda das versões Mini e Pro Max, estima-se que a Apple já registra números em torno de sete milhões de venda dos celulares iPhone 12 e 12 Pro, podendo chegar até mesmo a nove milhões de smartphones encomendados.

iPhone 12 Pro teve demanda maior que o esperado — Foto: Reprodução/Apple

O iPhone 12 chega com internet 5G e novo processador A14 Bionic, chip que promete ser até 50% mais potente que modelos rivais. Também marca presença a tecnologia MagSafe, que consiste em um sistema de ímãs na traseira do aparelho para anexar carregadores e acessórios por meio do magnetismo.

Outra novidade é a adição do sensor LiDAR na câmera tripla do iPhone 12 Pro e iPhone 12 Pro Max, um scanner capaz de mapear superfícies e que promete otimizar a experiência fotográfica por meio de recursos como a criação de um mapa de profundidade do ambiente. Ainda não há informações sobre a chegada da nova linha de celulares da Apple ao Brasil.

Carregador sem fio da Xiaomi repõe bateria de celular em 19 minutos

Xiaomi anunciou nesta segunda-feira (18) um novo carregador sem fio de 80 W que promete reabastecer uma bateria de celular de 4.000 mAh em 19 minutos. O desempenho é cinco vezes maior do que um componente comum de 15 W, que normalmente leva cerca de duas horas para completar a recarga.

O lançamento é uma evolução do modelo com fio de 120 W que acompanha o Mi 10 Ultra, que pode recarregar uma bateria de 4.500 mAh em 23 minutos.

Além disso, as especificações sugerem um salto de rendimento na comparação com a tecnologia da rival Oppo, cujo mais novo carregador precisa de 120 W de potência para repor 4.000 mAh em 20 minutos. Outras empresas chinesas também apostam em recarga ultrarrápida, mas nem todas sem fio. A OnePlus, por exemplo, oferece carregador de 65 W apenas com cabo.

Como ocorre com a maioria dos carregadores de celular, o modelo da Xiaomi tem melhor desempenho na primeira metade da carga. Segundo a empresa, o usuário pode recuperar 50% da energia do aparelho em apenas oito minutos sobre a base carregadora. É o terço do tempo necessário para repor a mesma quantidade de carga utilizando o carregador de 30 W lançado em 2019, o que de novo indica melhoria no aproveitamento da energia.

Por outro lado, ainda não se sabe quais seriam os números referentes a baterias maiores que 4.000 mAh, que vêm se tornando mais comuns. Esse é o caso dos próprios celulares da Xiaomi em 2020. Mi 10T Lite, Mi 10 e Mi 10 Pro têm, respectivamente, 4.820 mAh, 4.780 mAh e 5.000 mAh de capacidade.

A gigante chinesa também não detalha como a tecnologia trabalha para evitar superaquecimento dos componentes do telefone, considerado uma das importantes barreiras para aumentar a potência dos carregadores.
O carregador ainda não tem data para chegar ao mercado. A expectativa, por enquanto, é de que ele seja apresentado na próxima geração dos smartphones de ponta da empresa, esperada para 2020.

Mundial de LoL 2020: DAMWON vence a DRX e avança para a semifinal

A DAMWON Gaming venceu a DRX, na manhã desta quinta-feira (15), e avançou para as semifinais do Mundial de LoL 2020. O favoritismo do confronto entre as equipes da LCK, a liga sul-coreana de League of Legends, estava do lado da DAMWON, que apenas confirmou sua superioridade e controlou a série melhor de cinco partidas (Md5) do início ao fim, assegurando um tranquilo 3-0. Agora, a DAMWON aguarda o resultado da série entre Gen.G Esports e G2 Esports para saber quem enfrentará nas semifinais do mundial no dia 25 de outubro.

DAMWON Gaming é a primeira equipe a assegurar vaga nas semifinais do mundial — Foto: Divulgação/LoL Esports

No primeiro jogo, ambas as equipes procuraram se estudar bastante no early game e tiveram poucos momentos de agressividade, com algumas exceções para a rota inferior. Foi em uma chamada de arauto que a DAMWON mostrou seu jogo, levando dois abates, o objetivo e uma pequena vantagem no ouro. A DRX conseguiu fazer boas rotações, impedir a vantagem de ouro crescer e até levar um dragão. No entanto, a DAMWON conquistou a alma dragão infernal e garantiu o dragão ancião ao fazer um pick off no caçador Hong “Pyosik” Chang-hyeon. Dessa forma, bastou administrar o jogo e fechar aos 38 minutos.

O domínio de mapa e de rotações da DAMWON não foi visto no começo do segundo jogo. Embora tenha perdido o primeiro dragão, a DRX adquiriu uma boa vantagem no começo da partida e teve uma luta excelente ocorrida aos 19 minutos, eliminando todos os seus adversários e ficando à frente no ouro.

No entanto, uma luta na rota do meio minutos depois foi favorável à DAMWON, muito graças ao dano massivo do atirador Jang “Ghost” Yong-jun (Aphelios), o que abriu o espaço para o Barão Na’Shor e o domínio do jogo. A DRX não conseguiu mais se encontrar no mapa e viu a DAMWON finalizar sem dificuldades aos 36 minutos.

Apesar de alguns erros cometidos, DAMWON não teve problemas em controlar os dois primeiros jogos — Foto: Divulgação/LoL Esports

Por fim, o terceiro confronto teve um equilíbrio maior no early game. A DRX tinha uma composição voltada mais para os minutos finais do jogo, mas foi ela que buscou maior agressividade no começo. Ainda assim, a DAMWON conseguia responder bem às investidas de seus adversários, com exceção de um pick off recebido pelo suporte Cho “BeryL” Geon-hee, o que rendeu um dragão para a DRX.

Porém, o equilíbrio se encerrou no momento em que a DAMWON respondeu bem em uma luta aos 16 minutos, conseguindo abates e vantagem em ouro e de mapa. Após isso, a DAMWON não largou mais essa vantagem e venceu a partida em apenas 25 minutos para avançar de fase e eliminar a DRX.

Com a derrota, Deft e seus companheiros da DRX deixam o mundial — Foto: Divulgação/LoL Esports

Fone Bluetooth Beats Flex chega como opção ‘de entrada’; veja preço

Beats apresentou nesta terça-feira o fone de ouvido Bluetooth Beats Flex, opção “de entrada” da marca que chega por R$ 579. O acessório da empresa, que é parte da Apple, foi revelado no mesmo dia do novo iPhone 12, e promete maior integração com dispositivos da maçã por conta do chip Apple W1, mas também funciona com celulares Android. A ideia com o dispositivo é oferecer características de fones premium da Beats por um preço menor, e o modelo é apontado como “o mais econômico da história da marca”.

Seu design, intra-auricular e com um cabo que fica sobre a nuca, deve ser interessante para praticar exercícios. A bateria do Beats Flex promete 12 horas de música com uma única carga e o modelo começa a ser vendido no Brasil no início de 2021, disponível em preto, azul, amarelo ou cinza.

A Beats afirma que o Flex possui uma opção de pausar e iniciar a música de forma automática, ou seja, basta colocar o fone no ouvido para começar a ouvir música – ou repousá-lo ao redor do pescoço para pausar. Além disso, o acessório tem um novo driver acústico que promete maior imersão nas músicas. Já o cabo que liga as duas pontas é feito com material “Flex-Form”, que deve ser mais leve do que de outros fones populares com a mesma proposta.

O chip Apple W1 permite uma integração maior com dispositivos da maça. Um exemplo é o pareamento rápido com iPhones e iPads (iOS): um pop-up aparece na tela assim que o fone é ligado pela primeira vez, e um toque basta para começar a usar. Além disso, qualquer dispositivo da marca conectado ao iCloud tem a opção de usar o Flex sem precisar de uma nova configuração.

Outra função interessante é o Compartilhamento de Áudio da Apple, que permite ouvir a mesma coisa no Flex e em outros fones da Beats ou AirPods e AirPods Pro.

Beats Flex com iPhone 12 recém-lançado — Foto: Divulgação/Apple

Por fim, o Beats Flex carrega por meio de USB-C, padrão mais rápido que o microUSB. Segundo a fabricante, 10 minutos na tomada são suficientes para até 1,5 hora de uso, dependendo das funções utilizadas. No fio que liga os dois lados do fone, está presente ainda um pequeno painel de controle para ajustes de volume, reprodução e até mesmo acionar a Siri ou Google Assistente do celular.

Vale lembrar que a Apple deve anunciar o novo AirPods Studio em breve, de acordo com diversos rumores na Internet. O modelo teria uma proposta de alta qualidade de som, opções de acabamento premium ou esportivo e seria do tipo over-ear, o primeiro da linha com essa proposta. Seguindo esse perfil, a própria Beats oferece alguns dispositivos, caso do já tradicional Beats Studio3 Wireless.

FIFA 21 vs FIFA 20: saiba o que muda nos jogos de futebol da EA Sports

Gráficos, menus, modos e mais; veja as principais diferenças entre os dois últimos simuladores da franquia

FIFA 21 é o lançamento da EA Sports que traz muitas novidades em relação ao antecessor FIFA 20. Entre as principais mudanças, o FIFA 21 conta com uma nova narração na versão brasileira, além de melhoras consideráveis na jogabilidade e atualizações nos menus e modos mais famosos, como o Modo Carreira e o Ultimate Team. Os dois jogos estão disponíveis em mídia física e digital para PC, Xbox One, PlayStation 4 (PS4) e Nintendo Switch. Posteriormente, FIFA 21 chega para Xbox Series S/X e PlayStation 5 (PS5). Confira a análise feita pelo TechTudo sobre as principais diferenças entre o FIFA 20 e o FIFA 21.

FIFA 21 foi lançado nesta semana e apresenta algumas novidades em relação ao antecessor FIFA 20 — Foto: Divulgação/EA Sports

Jogabilidade

FIFA 21 trouxe muitas novidades de jogabilidade em relação ao FIFA 20. A EA aprimorou diversos fatores que eram alvos de reclamações entre alguns fãs da franquia no jogo antecessor, como as dificuldades em fazer gols de bolas aéreas, levando mais realismo às partidas. Outras mudanças relevantes foram sobre o controle de bola e os dribles, que podem ser feitos de forma mais controlada.

FIFA 21 apresentou um sistema de movimentação inteligente de jogadores sem a bola — Foto: Reprodução/PlayStation Store

Como de costume, a cada edição, o FIFA muda algum aspecto nas marcações. As disputas de bola estão mais realistas no novo jogo e o usuário tem mais controle na organização defensiva, mas isso também aumentou a dificuldade no embate corpo a corpo. No FIFA 20, a aproximação do segundo marcador era automática, já no FIFA 21 essa situação deve ser controlada manualmente pelo usuário e em muitas jogadas – uma decisão errada pode acarretar grandes consequências no placar.

Modos

FIFA 20 introduziu novas formas de jogar partidas amistosas, com uma pegada mais arcade, com regras e pontuações alternativas. Além disso, o game introduziu o modo Volta, que lembra o contexto do antigo FIFA Street, mas com a jogabilidade semelhante ao simulador de futebol tradicional. O modo Volta também foi responsável por ter um modo história, que contou com a participação do atacante brasileiro Vinicius Junior, do Real Madrid, revelado no Flamengo.

FIFA 21: Além do Rio de Janeiro, agora o modo Volta também tem arena em São Paulo — Foto: Divulgação/EA Sports

No FIFA 21, todas essas adições retornam. O modo Volta tem novamente uma campanha em que o usuário pode criar seu próprio jogador e disputar as competições ao redor do mundo. Desta vez, os ídolos Kaká e Henry fazem parte da história. Novas quadras também foram adicionadas, como a de São Paulo. O novo jogo traz novidades no Modo Carreira, que agora apresenta um simulador interativo de partidas, um sistema que vai permitir os usuários alterarem o rumo das partidas e jogarem apenas nos momentos decisivos, além de novas dinâmicas de transferências e evolução de jogadores.

Os dois jogos contam com os modos clássicos do FIFA, como as partidas rápidas, o modo de copas, os modos cooperativos online e o Ultimate Team, que será detalhado no próximo tópico.

Ultimate Team

O maior sucesso da franquia chega ao FIFA 21 com muitas novidades em relação ao FIFA 20. As primeiras são os novos menus, que tiveram adições de conteúdo e mudanças para a organização dos times. Porém, a grande novidade fica por conta da personalização dos estádios, que podem ser alterados em todos os aspectos, seja nas cores das cadeiras, das linhas do gramado ou da rede dos gols. Além disso, os usuários vão ter a possibilidade de personalizar e adicionar aspectos de pirotecnia, cantos de torcida, entre outros.

Outra diferença dos jogos é que no FIFA 21 estão disponíveis 100 ídolos no Ultimate Team. Foram adicionados novos 11 jogadores em relação ao FIFA 20, entre eles estão nomes como Samuel Eto’o, Eric Cantona e Xavi.

FIFA 21: a carta prime de Cantona está entre as três mais altas do novos ídolos — Foto: Divulgação/EA Sports

Gráficos

As diferenças nos gráficos do FIFA 20 e do FIFA 21 são praticamente nulas. Poucas alterações visuais foram feitas e a EA Sports apenas aprimorou os gráficos na versão mais recentes. O principal destaque são os detalhes de realismo nos jogadores, que começam a se adequar a tendência da nova geração de consoles. Apesar de ter atualizado muitos rostos, como a franquia anualmente faz, alguns jogadores do FIFA 21 tiveram a aparência questionada pelos fãs da franquia, como é o caso de Messi.

FIFA 21: Messi teve o visual criticado entre os fãs  — Foto: Reprodução/Luiz Gustavo Ribeiro

Apesar disso, o FIFA 21 traz melhorias nos estádios com novos detalhes internos e iluminação. Já no quesito torcida, praticamente não mudou nada e os torcedores seguem sendo genéricos e repetitivos, além de serem menos detalhados do que os outros aspectos do game.

Conteúdo

Além da criação do Modo Volta, uma das maiores novidades do FIFA 20 foi a adição da Copa Libertadores da América em seu catálogo. Vale ressaltar que a franquia já tinha a Champions League disponível. Todas as principais competições da UEFA e da Conmebol estão presentes, além das já citadas, a Liga Europa, a Copa Sul-Americana, a Recopa e a Supercopa da UEFA também estão licenciadas. O FIFA 21 tem mais de 17 mil jogadores, mais de 700 clubes, 95 estádios e 30 ligas licenciadas de todo o mundo.

Atual campeão da Libertadores, o Flamengo não estava no FIFA 20 mas está no novo jogo — Foto: Reprodução/Yuri Hildebrand

Outra novidade no FIFA 21 será a presença de uma artista brasileira na playlist oficial do jogo. A música “Me Gusta” de Anitta em parceria com Cardi B e Myke Towers foi escolhida para representar o Brasil nesta edição. O FIFA 20 não teve música de artistas brasileiros. Inclusive, o antecessor do FIFA 21 não estará disponível na próxima geração de consoles. Por outro lado, quem comprar o lançamento da EA ainda no Xbox One e PS4 receberá uma versão gratuita do jogo para Xbox Series S/X e PS5, respectivamente.

Times brasileiros

Neste quesito, nada mudou: FIFA 20 e FIFA 21 continuam com a mesma política em relação aos clubes do Brasil. O Campeonato Brasileiro não está licenciado e os clubes que aparecem nos jogos não têm os jogadores de verdade e foram substituídos por criações genéricas da EA. Em ambos os games, os times brasileiros apresentam apenas uniformes e escudos originais. O FIFA 21 apresentou a criação de um novo time, o Oceânico FC, que não faz referência a nenhum clube do Brasil e está presente na liga brasileira do jogo.

No FIFA 20, o Bahia teve o licenciameno de escudos e uniformes, mas contou com jogadores genéricos — Foto: Reprodução / Diego Borges

Há alguns anos, a franquia FIFA enfrenta dificuldades para negociar os direitos de uso de imagem dos jogadores das competições brasileiras. Além disso, por mais um ano, a licença da Série A e B do Campeonato Brasileiro é da Konami. Logo, a maioria dos times e jogadores originais que atuam no Brasil estão presentes no PES 2021, franquia rival do simulador da EA Sports.

Narração

Uma das grandes novidades do FIFA 21 para os fãs brasileiros é a mudança na narração do jogo. Nesta edição da franquia, o narrador Gustavo Villani, do Grupo Globo, assume a posição que pertencia a Tiago Leifert. O apresentador da Globo esteve ao lado do comentarista Caio Ribeiro do FIFA 13 até o FIFA 20. Apesar da mudança na narração, Caio continua comentando na transmissão dos jogos em FIFA 21.

Caio Ribeiro e Gustavo Villani são os donos das vozes das transmissões brasileiras do FIFA 21 — Foto: Reprodução/Instagram

Antes do lançamento do jogo, o narrador Gustavo Villani conversou com o TechTudo e contou todos os detalhes dessa nova experiência na carreira. O narrador de 39 anos têm passagens por diversas emissoras de rádio e TV, mas é a primeira vez que estará narrando em um jogo de videogame.

Conclusão

FIFA 21 é basicamente a melhor versão do jogo na geração de consoles que encerra o ciclo neste ano. O game chega para corrigir e aperfeiçoar a jogabilidade e os gráficos que foram apresentados nas versões anteriores da franquia. Por outro lado, não existe muita diferença entre o FIFA 21 e o FIFA 20 em relação ao jogo em si. Visto que o FIFA 20 trouxe a criação de novos modos e o FIFA 21 aprimorou cada um deles.

Os dois jogos apresentam belos gráficos e tendem a agradar os fãs de simuladores de futebol. Além disso, o FIFA 21 inicia uma nova jornada na franquia, visto que é o primeiro game presente na nova geração de consoles, e será responsável por ditar o ritmo do simulador nos próximos anos.

FIFA 21 evoluiu diversos aspectos do FIFA 20 e é uma ótima opção para os fã de simuladores de futebol — Foto: Reprodução/Yuri Hildebrand

iPhone 12: como assistir ao evento da Apple ao vivo e conhecer o novo celular

A Apple deve anunciar o novo iPhone nesta terça-feira (13) em um evento especial. Assim como os últimos anúncios da empresa, o evento é gravado e será transmitido exclusivamente online por conta da pandemia do coronavírus. Com um mês de atraso em relação ao calendário de anos anteriores, a Apple anunciará a linha iPhone 12 com supostamente quatro modelos, visual renovado, processador mais rápido e conectividade 5G, de acordo com vazamentos recentes.

Também é esperado o lançamento do Apple Tags, pequenos acessórios para rastreamento de objetos, além da versão final do macOS Big Sur, que marca a transição dos chips Intel para ARM. O evento está marcado para começar a partir das 14h pelo horário de Brasília. Veja, a seguir, como assistir ao evento de lançamento do celular da Apple.

Apple Event deve anunciar novo iPhone 12 e preços em 2020 — Foto: Divulgação/Apple

Como assistir ao evento no iPhone, Mac, iPad ou Apple TV

Em dispositivos da Apple com iOS ou tvOS, o evento será transmitido por meio do aplicativo TV. Abra o app e localize o evento especial da Apple na lista. Caso a transmissão não esteja disponível na tela inicial, faça uma busca por “evento Apple” na aba de pesquisa. Além disso, é possível assistir o streaming no site da Apple (apple.com/apple-events) por meio do navegador do celular ou tablet.

Saiba como assistir ao evento da Apple no iOS — Foto: Reprodução/Helito Beggiora

Como assistir ao evento no computador Usuários de Macs e PCs com Windows ou Linux devem acessar a página do evento no site da Apple (apple.com/apple-events) pelo navegador. Neste caso, a transmissão ao vivo é compatível com a versão mais recente dos navegadores Chrome, Firefox, Microsoft Edge, além do Safari no macOS. É necessário que o software ofereça suporte aos codecs de áudio e vídeo MSE, H.264 e AAC.

Como assistir ao evento no YouTube

Em outros dispositivos — tais como smartTVs e celulares com Android — o evento especial da Apple poderá ser assistido por meio do YouTube. O link com o agendamento da transmissão ao vivo já está disponível no player abaixo. No caso de smartTVs, o usuário deve abrir o app do YouTube, acessar a busca e pesquisar pelo canal oficial da Apple.

O que esperar do evento

Por causa da pandemia, a nova geração do iPhone, que geralmente é lançada em setembro, atrasou e foi adiada para outubro. A nova linha de celulares da Apple deve ser equipada com um processador mais rápido batizado de A14, ter suporte suporte a redes de telefonia 5G e trazer um visual novo, com traços retos inspirados nos novos iPads.

Para este ano, são esperados quatro modelos do celular: o iPhone 12 Mini, com tela de 5,4 polegadas, o iPhone 12 com tela de 6,1 polegadas e dois iPhones Pro, sendo um com display de também 6,1 polegadas, e o Max com tela de 6,7 polegadas.

Além dos novos iPhones, a Apple deve aproveitar o evento para revelar um novo produto chamado Tags. O pequeno acessório poderá ser usado para rastreamento de objetos, como chaves e carteiras, por meio do app Buscar, no iOS.

O macOS 11 Big Sur, que foi apresentado na WWDC 2020, também deve ter a sua versão final anunciada no evento. O sistema para Macs irá receber um visual completamente renovado e novos recursos inspirados no iOS 14. Outra grande novidade é que o sistema marca o início da transição dos processadores Intel para ARM, embora não seja esperado o lançamento de nenhum Mac com o novo chip.

Hacktudo: festival de cultura digital tem hackathon para estudantes

O Hackathon OLX é uma maratona digital para jovens universitários que vai acontecer virtualmente entre dos dias 16 e 25 de outubro. A iniciativa é fruto de uma parceria entre a OLX e o Hacktudo, festival de cultura digital, e se destina a jovens interessados em criar projetos a cerca do tema “Economia Colaborativa em Tempos de Pandemia”. As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas até a próxima segunda-feira (28) pelo Sympla.

Podem participar do hackathon alunos universitários de cursos superiores de graduação em qualquer área do conhecimento e estudantes de cursos técnicos. Vale ressaltar que as inscrições só serão válidas para alunos com matrícula vigente. O evento ainda vai contar com prêmios em dinheiro para os três grupos finalistas, além de oferecer seminários online e sessões de mentoria para os participantes, que também vão concorrer a um Summer Job na OLX.

Abertura da Hackathon do festival Hacktudo 2019 — Foto: Divulgação/Hacktudo

Além disso, a participação no Hackathon OLX está limitada aos 30 primeiros times que se cadastrarem na maratona. As inscrições devem ser realizadas por grupos de três a quatro estudantes, e um dos integrantes da equipe deve ficar responsável pelo envio dos comprovantes de matrícula e documentos necessários de cada membro do grupo. Valem boletos bancários ou faturas de cartão de crédito que constem os débitos de pagamento do curso e carteirinhas de identificação ou declaração da instituição.

Hackathon OLX acontece entre os dias 16 a 25 de outubro e tem premiações em dinheiro para finalistas — Foto: Divulgação/Hacktudo

O concurso seguirá um cronograma definido. Durante a abertura do evento, no dia 16 de outubro, será anunciado um desafio para os participantes, que terão 36 horas para idealizar e desenvolver uma solução inovadora e criativa a partir de um projeto original e aplicável. Após esse período, as dez equipes que mais se destacarem seguirão para a próxima etapa, um pitching no dia 24 de outubro. Então, no dia 25, serão revelados os três melhores projetos. O hackathon também vai contar com sessões de mentoria e outras dinâmicas virtuais e o time vencedor ainda leva para casa R$ 5 mil.

HackRobot, a Arena de Rôbos do festival Hacktudo 2019 — Foto: Divulgação/Hacktudo

O que é o Hacktudo?

O Hackathon OLX é apenas uma das atividades previstas para o Hacktudo, festival de cultura digital que acontece online e gratuitamente entre os dias 16 e 25 de outubro. O evento ainda vai apresentar conferências com profissionais de grandes empresas de tecnologia e uma exposição virtual do artista Jota Azevedo sobre lixo eletrônico. A programação também inclui atividades exclusivas para as mulheres e para o público infanto-juvenil. Para saber todos os detalhes e se inscrever nos laboratórios, basta acessar: www.hacktudo.com.br