Dia Mundial do Emoji: oito coisas que você não sabia sobre as carinhas

Ícones foram criados em 1999, possuem premiação anual e já chegaram a ser exibidos em museu de arte


Nesta sexta-feira, comemora-se o Dia Mundial do Emoji, celebrado todo dia 17 de julho desde 2014. O que muita gente não sabe é que as carinhas foram criadas há mais de 20 anos e evoluíram de diferentes formas até chegar aos padrões atuais. Segundo a Emojipedia, atualmente existem 3.304 emojis cadastrados na Unicode, e qualquer pessoa pode sugerir novas figuras.

PUBLICIDADE

Entre outras curiosidades relacionadas aos emojis está a inclusão de um pacote com mais de 170 carinhas ao acervo do Museu de Arte Moderna de Nova York, a escolha de um ícone como “palavra do ano” pelo Dicionário Oxford e uma premiação que consagra o melhor figura do ano. Confira, a seguir, oito curiosidades que você provavelmente não sabia sobre os emojis.

Dia Mundial do Emoji é comemorado desde 2014 — Foto: Divulgação/Adobe

Dia Mundial do Emoji é comemorado desde 2014 — Foto: Divulgação/Adobe

1. Como surgiu a data?

Dia Mundial do Emoji foi criado pelo fundador da Emojipedia, Jeremy Burge, em 2014, e a data foi escolhida por causa do emoji de calendário do iOS, que exibe 17 de julho na figura — a Apple escolheu esta data porque foi neste dia, em 2002, que o aplicativo de calendário iCal foi lançado no macOS. O objetivo da criação da data foi apenas celebrar os emojis e promover a utilização das carinhas.

Na época da criação do Dia Mundial do Emoji, serviços como a Microsoft e o Android possuíam ícones de calendário genéricos, e o Twitter exibia outra numeração no seu emoji. Mesmo assim, a data foi abraçada por todas as grandes fabricantes, que até hoje celebram as figurinhas no dia 17 de julho. O Google, inclusive, atualizou o emoji de calendário do Android em 2016, passando a estampar a data comemorativa.

Como escrever com emojis e enviar pelo WhatsApp

Como escrever com emojis e enviar pelo WhatsApp

2. O primeiro emoji

Os primeiros emojis da história foram criados pelo designer de interface japonês Shigetaka Kurita, em 1999, quando o profissional trabalhava para a NTTDoComo, empresa de telefonia celular do país. Na época, Kurita criou um pacote com 176 ícones para serem utilizados em pagers e celulares da companhia, com foco no uso entre adolescentes.

As figuras foram desenvolvidas com 12×12 pixels e todo o pacote ocupava pouco mais de 3kb. Os desenhos representavam fenômenos climáticos, algumas expressões faciais simples, elementos esportivos e itens como corações, barco, árvore, televisão e partes do corpo. Segundo o desenvolvedor, a inspiração para as imagens foram os mangás, os pictogramas e revistas japonesas.

Shigetaka Kurita é o criador do primeiro emoji — Foto: Reprodução/kickstarter

Shigetaka Kurita é o criador do primeiro emoji — Foto: Reprodução/kickstarter

O objetivo da criação dos emojis foi facilitar a comunicação em um sistema de Internet móvel que acabava de surgir. A limitação de espaço, que restringia as mensagens de e-mail a somente 250 caracteres, abriu margem para o desenvolvimento de figuras que pudessem dizer mais do que o texto naquele pequeno campo.

3. Emojis no museu

Em outubro de 2016, o Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA) incluiu na sua coleção o pacote de 176 emojis originais criados por Shigetaka Kurita. A justificativa era de que o espaço já havia abrigado itens de inovação de design que alteraram radicalmente o mundo, dando como exemplo telefones, computadores e o símbolo de “@”. Assim, os emojis representavam uma nova reflexão sobre os costumes associados à escrita, e as mudanças que eles simbolizam.

Pacote com primeiros emojis foi criado em 1999 — Foto: Reprodução/Kickstarter

Pacote com primeiros emojis foi criado em 1999 — Foto: Reprodução/Kickstarter

“Os emoji de Shigetaka Kurita são manifestações poderosas da capacidade do design de alterar o comportamento humano. Essas humildes obras-primas, de 12 x 12 pixels, plantaram a semente para um crescimento explosivo de uma nova língua visual”, disse Paul Galloway, especialista da coleção de arquitetura e design do MoMA.

4. Qualquer pessoa pode sugerir

Os emojis são geridos e atualizados globalmente pela Unicode, consórcio que renova periodicamente as figuras disponibilizadas em todos os sistemas operacionais. Para adicionar um novo emoji, a empresa leva em consideração a procura pela figura na Internet, a relevância do tema, sugestões de petições públicas ou solicitações de comitês internacionais. O que pouca gente sabe é que qualquer pessoa pode sugerir a inclusão de novos ícones.

Para isso, é necessário atender a diversos critérios, como a frequência de uso do emoji em caso de aceitação, o quão necessário ele é atualmente e uma comprovação de que há demanda para aquela figura. Não se pode sugerir marcas famosas, divindades religiosas, conteúdo ofensivo ou algo muito específico, como a bandeira de cidades.

Caso você atenda a esses requisitos, deverá enviar protótipos do desenho do emoji de forma oficial para a Unicode, com especificações técnicas e dimensões exatas de tamanho e aplicabilidade. O processo entre o envio da sugestão, aprovação e lançamento do emoji pode levar até um ano e meio.

Ao sugerir um emoji, é preciso apresentar ideias de desenhos e imagens — Foto: Reprodução/Unicode

Ao sugerir um emoji, é preciso apresentar ideias de desenhos e imagens — Foto: Reprodução/Unicode

5. Monitoramento em tempo real

O site Emoji Tracker (emojitracker.com) contabiliza em tempo real quantas vezes cada emoji foi utilizado no Twitter. A plataforma atualiza os números analisando todos os tuítes publicados na rede social desde a criação do contador, em 2013. Atualmente, o site aponta como o primeiro lugar a carinha chorando de rir, com quase três bilhões de utilizações.

Emoji Tracker mostra contador de cada emoji em tempo real — Foto: Reprodução/Emoji Tracker

Emoji Tracker mostra contador de cada emoji em tempo real — Foto: Reprodução/Emoji Tracker

6. Palavra do ano

O tradicional Dicionário Oxford elegeu um emoji como a “palavra do ano” em 2015. A figura escolhida foi a carinha chorando de rir. Foi a primeira vez na história que a entidade selecionou uma imagem ao invés de uma palavra comum, o que gerou certa polêmica na época. De acordo com a publicação, a escolha refletia a popularização das diferentes formas de comunicação digital daquele momento. O termo “emoji” havia sido adicionado ao dicionário somente dois anos antes, em agosto de 2013.

Emoji com lágrimas de alegria — Foto: Reprodução/TechTudo

Emoji com lágrimas de alegria — Foto: Reprodução/TechTudo

Outra polêmica envolvendo os emojis e a gramática é a divergência sobre a correta flexão do termo para o plural. De acordo com a Emojipedia, a origem japonesa da palavra impõe que seja mantida a forma original, ou seja, seria correto falar “dois ou mais emoji”. No entanto, a popularização da palavra em inglês e outros idiomas em que o “s” indica maior quantidade, aliada a uma possível ambiguidade na utilização do mesmo termo para singular e plural, fez com que “emojis” passasse a ser considerada aceitável.

7. Emoji Awards

Todos os anos, desde 2017, a Emojipedia realiza o World Emoji Awards, premiação anual que reconhece os ícones mais utilizados no mundo, com direito a cerimônia oficial. A votação é realizada por meio de estatísticas, quando são analisados os números de visitas às páginas dos emojis na Emojipedia, e também por votação no Twitter. Participam da competição todos os emojis lançados no ano anterior. Em 2019, o vencedor foi o emoji sorridente com corações.

Emoji mais popular de 2019 — Foto: Reprodução/Emojipedia

Neste ano, os finalistas na categoria “Emoji que mais representa 2020” são a mão preta com punho cerrado (✊🏿), impulsionada pelas publicações relacionadas ao movimento “Black Lives Matter (Vidas Negras Importam)”, e o emoji de micróbio (🦠), bastante utilizado para simbolizar o coronavírus.

8. Os mais usados

A Emojipedia diz que o emoji mais utilizado do mundo é a carinha chorando de rir (😂), seguida pela carinha chorando copiosamente (😭) e a carinha de súplica (🥺). Na lista também aparecem o coração vermelho, mãos postas, polegar para cima e rosto pensante. Em 2019, a carinha mais usada no Brasil foi o rosto com olhos de coração.

Write a Comment